Quais cuidados tomar ao ingerir remédios para dormir?

Quais cuidados tomar ao ingerir remédios para dormir?

As mudanças de hábito por causa da pandemia, além dos estímulos visuais como televisão e celular, tem feito com que muitas pessoas recorram a remédios para dormir e conseguir uma noite de sono mais tranquila e descansada.

No entanto, pode haver um perigo nisso. Afinal, a verdade é que muitas pílulas são vendidas sem nenhuma prescrição médica, pois servem para tratar insônia em momentos específicos, apenas para que a pessoa se sinta mais sonolenta e relaxada. 

Ainda assim, vistos como auxiliares do sono, incluindo os produtos naturais como a melatonina, podem causar efeitos colaterais. Assim, é importante estar atento a esses efeitos e, em casos mais leves e pontuais, recorrer a hábitos mais relaxantes antes de dormir.

Uma pessoa que faz uso recorrente de remédios para dormir, sem um acompanhamento médico adequado, pode ter problemas como confusão mental e sonolência ao longo do dia. 

Por isso é importante buscar ajuda de profissionais da área da saúde. Eles podem diagnosticar diferentes distúrbios de sono, e que são mais comuns do que se imagina, entre os quais:

  • Apneia do sono;
  • Insônia por estresse;
  • Narcolepsia;
  • Síndrome das pernas inquietas.

Em escalas de graduação diferentes, esses distúrbios podem afetar todos os aspectos da vida de alguém, incluindo segurança, relacionamentos, desempenho escolar ou profissional, formação de pensamento e saúde mental, dentre outros aspectos.

A influência dos distúrbios do sono podem afetar até mesmo uma pessoa fisicamente, alternando o peso corporal, impactando no desenvolvimento de doenças cardíacas e evolução da diabetes. 

Enfim, não dormir de maneira suficiente pode prejudicar a qualidade de vida de um modo geral e precisa ser solucionado o quanto antes. 

Primeiros sintomas dos distúrbios do sono

mulher sentada na cama com travesseiro no colo e mão na cabeça

Antes de recorrer aos remédios para dormir, é preciso entender quais são os distúrbios do sono, e em que condições eles se apresentam e impedem uma noite de descanso e definitivamente reparadora para o corpo, demandando atenção e auxílio.

Se uma pessoa não dorme de maneira devida, por conta do estresse ou preocupações, como alguém que sofreu um trauma de assalto ou algo assim e mesmo com o Monitoramento de alarme 24 horas. Ou qualquer situação educacional ou profissional que demande estresse além do que a pessoa está acostumada, é preciso correr ao um especialista.

O distúrbio de sono, mesmo, pode ser identificado se essa pessoa apresenta, de forma regular, dificuldades para dormir. 

Demorar a pegar no sono ou mesmo acordar de forma recorrente, não atingido o sono profundo e de qualidade, são outros fatores que demandam atenção e podem ser caracterizados como distúrbios.

Também pode ser identificado como um cansaço ao longo do dia, mesmo que tenha dormido ao menos 7 horas na noite anterior. 

Caso seja observado uma capacidade reduzida ou prejudicada na realização de atividades diurnas regulares, é possível que o distúrbio do sono esteja instalado e a ajuda profissional e de remédios para dormir deve ser avaliada como uma possível solução adequada.

Vale lembrar que muitas pessoas, de qualquer idade, que não dormem as horas de sono em uma quantidade apropriada podem ter suas cognições e segurança prejudicadas. E dormir é muito importante para o corpo, dentro de um tempo suficiente para a reposição de energia, e até para o pleno desenvolvimento e recuperação corporal. 

Tempo necessário para noite de sono regular

Cada indivíduo possui características próprias quanto a vida que leva. No entanto, o número de tempo de sono é um consenso entre especialistas, que sugerem entre 7 e 9 horas para pessoas que possuem uma vida regrada. Contudo, pode haver o controle do sono por meio de ciclos, que duram em média 100 minutos cada.

O que tem ocorrido é que as mudanças de hábito e de consumo tem alterado a média de sono, fazendo com que muitos recorram aos remédios para dormir ou sentir-se mais relaxados/descansados. 

A tendência de queda de horas de sono ideais está relacionada ao uso de internet no período noturno, trabalhos extras que são levados para casa, televisor ligado no quarto, entre outros equipamentos eletrônicos, como tablets e celulares.

Pessoas mais idosas, a partir dos 60 anos, conforme estipulado pela OMS (Organização Mundial da Saúde), têm o tempo de sono menor. A causa principal está na necessidade de uso do banheiro, ou dor e desconforto físico por causa da idade avançada.

A própria alimentação pode prejudicar uma noite de sono, como o consumo de cafeína e bebidas industrializadas, como alcoólicas e refrigerantes.

Riscos associados a noites mal-dormidas

Um profissional que trabalha em uma Empresa de alpinismo industrial e não tem a quantidade ou qualidade adequada de sono pode se prejudicar muito, além de se sentir apenas cansado.

A sonolência interfere na função cognitiva, o que pode levar a dificuldades como comprometimento da memória, alterações de personalidade e até mesmo causar depressão. 

As pessoas privadas de sono apresentam dificuldades para tomar decisões, irritabilidade, problemas de desempenho e tempos de reação mais lentos. Isso pode colocar em risco as próprias pessoas, e terceiros, inclusive em um ambiente de trabalho.

Veja também:

Automassagem: entenda como eliminar a tensão muscular

 

Insônia pode ser tratada de diferentes maneiras

A automedicação é um risco que muitas pessoas decidem por vontade própria. Mas é importante ressaltar que o melhor é seguir a recomendação de um profissional da área da saúde, ainda mais quando se trata de insônia, devido aos impactos nos demais âmbitos da qualidade de vida. 

De qualquer maneira, vale a pena se informar para entender quais as escolhas que se tem, e como o assunto sobre distúrbios do sono e remédios para dormir podem ser conversados com um especialista da área médica.

Primeiro, é importante entender que a insônia é um problema que impede a pessoa de adormecer, ou retarda a hora de acordar.

 Pode ser observada ao longo da noite, em que a pessoa fica desperta, ou acorda muito cedo, sentindo-se sonolenta durante todo o dia.

Isso pode aumentar a probabilidade de sofrer um acidente, ou mesmo desatenção para quem atua como atendente na área de Cartão de crédito para pensionista e, como se sabe, trabalhar com números cansado pode ser prejudicial até mesmo financeiramente. 

De acordo com a pessoa, o uso de cafeína pode até ser um escape para superar o cansaço, mas isso pode piorar ainda mais o problema de sono. 

O estresse também pode impedir que uma pessoa durma bem de vez em quando, e o problema pode perdurar por dias ou semanas, mas tende a melhorar dentro de um mês, sem recorrer a um remédio para dormir. 

Mais do que isso, os problemas podem se transformar a longo prazo, especialmente quando não se preocupa em não dormir bem, se tornando uma insônia crônica. Então é chegada a hora de procurar um médico especialista na área de sono.

Aplicação de remédios para dormir melhor

Quando devidamente indicados e inseridos em uma rotina para melhorar o descanso, os remédios para dormir funcionam bem, e ajudam em um curto período de tempo a quebrar o ciclo de sono ruim. 

Deste modo, é possível iniciar também hábitos mais saudáveis para introduzir uma rotina de sono de forma efetiva.

Ao longo do tempo, pode ser que o remédio não apresente melhoras, principalmente se não for acompanhado de mudanças de estilo de vida e comportamento. 

Por isso é importante aliar a novas práticas que estimulam a produção de hormônios do sono ou mesmo que auxiliem no relaxamento do corpo e mente, preparando para o momento de sono, além de fazer o acompanhamento junto ao profissional, para realizar trocas, caso seja necessário.

Com relação ao medicamento, o médico pode solicitar o uso de remédio para dormir todas as noites, por um período específico, como no decorrer de algumas semanas. Ou então as pílulas podem ser tomadas por apenas algumas noites por semana, dentro de um tratamento intermitente.

O mais importante é certificar-se de tomar a medicação exatamente como estipulado pelo profissional da área da saúde. 

Tudo vai depender das situações apresentadas e especificidades do quadro, e como isso pode ajudar a melhorar as condições para dormir melhor. 

Sobre os efeitos colaterais que podem ocorrer no período de adaptação ao remédio e que demandam atenção são:

  • Aumento do sono no decorrer do dia;
  • Redução de reflexos;
  • Reações alérgicas;
  • Dependência (quando usado incorretamente).

Cuidados e mudanças de comportamento

Não são apenas os remédios para dormir que podem ajudar a ter uma noite de sono melhor. Para garantir uma qualidade de vida apropriada, é preciso fazer mudanças na rotina e no comportamento. 

Há várias ações que uma pessoa pode tentar, como indicadas abaixo.

  1. Mudanças em como dorme

Existem mudanças simples que se pode fazer na rotina e que ajudam a dormir melhor. Isso inclui mudar onde ou quando se dorme, ter cuidado com os alimentos, e se manter ativo. 

Também é importante manter horários regulares para dormir e acordar, durante todos os dias, e evitar cochilos durante o dia.

  1. Exercícios de relaxamento

A prática de exercícios regulares podem ajudar a desacelerar a mente. 

Aprender a relaxar os músculos, como por meio de atividades dentro do cotidiano, ou mesmo a meditação, podem indicar um cansaço físico adequado para o descanso necessário para o corpo e auxiliam no relaxamento mental, fundamental para iniciar o processo de sono;

Exercícios de respiração profunda, somado a exercícios como a natação, entre outras modalidades esportivas, também são maneiras de ocupar o corpo e a mente, e assim auxiliar para ter uma noite de sono melhor, tendo em vista que também aumentará o gasto de energia.

  1. Pensamento saudável com terapia

Se manter equilibrado mentalmente é uma maneira de ficar bem, ou lidar com um problema de saúde ou mental, como o estresse, que podem prejudicar o sono. 

A terapia cognitivo-comportamental é um tipo de aconselhamento que pode ajudar a entender por que uma pessoa tem problemas de sono. E isso pode mostrar como se deve lidar com eles, sendo um formato de terapia mais rápido e direcionado, com foco em atitudes e sintomas.

Profissionais da área da saúde terapêutica cognitiva-comportamental podem ajudar a reduzir o sono interrompido durante a noite, e ser eficiente ao longo do tempo, identificando possíveis gatilhos e comportamentos que estão afetando o sono.

Conclusão

Um empresário responsável pela Portaria virtual porto alegre dos clientes pode ter uma preocupação pontual, e ter uma noite de sono mal-dormida. Mas se isso se tornar recorrente, precisa procurar ajuda médica o quanto antes. 

Os cuidados com os remédios para dormir são associados a efeitos colaterais, como ansiedade e náusea, ou mesmo reduzir os efeitos do remédio ao longo do tempo, depois de um tratamento muito extenso.

Por isso é preciso contar com ajuda profissional, e descobrir de forma pontual quais os problemas de sono que estão causando os sintomas e a falta de sono e a melhor forma de lidar com isso.. 

Enfim, uma mudança no estilo de vida, em conjunto com os remédios para dormir, pode ser o suficiente para regular as horas de sono e voltar a descansar tranquilamente, obtendo mais qualidade de vida.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Gostou deste conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais. Caso queira ver mais artigos continue acessando nosso site 

Magazine Notícias

Autor do blog Magazine notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.