Refluxo – O Que é, Causas, Sintomas e Tratamento

Refluxo

O refluxo é uma complicação que atinge o sistema digestivo, provocando alguns sintomas como azia, tosse ou até mesmo vômito. Trata-se de um quadro considerado comum, com mais de dois milhões de casos reportados anualmente, só no Brasil.

Apesar de acometer muitas pessoas, há, ainda, muitas dúvidas a respeito do refluxo. Saiba o que é, quais são as causas possíveis, os sintomas e os tipos de tratamento disponíveis.

O que é refluxo?

O refluxo é um termo genérico associado ao vômito ou azia recorrente, que pode ter sua gravidade caracterizada como leve, moderada ou severa, a depender das circunstâncias e sintomas adjacentes.

Trata-se de um quadro que pode acometer adultos, mas que também pode ser frequente em crianças, devido à sensibilidade dos tecidos que revestem o estômago e o esôfago. No entanto, nesses casos, na maioria das vezes, o problema cessa por conta própria, pois, conforme a criança cresce, os tecidos vão se tornando mais densos e resistentes.

No entanto, os tipos de refluxo se dividem em outras categorias, com características e frequência específicas. Conheça-os:

– Azia

A azia ocorre no sistema digestivo e, quando se manifesta, pode desencadear dor leve, moderada ou intensa no peito. Isso ocorre, pois, quando o ácido retorna ao esôfago, desencadeia uma sensação de queimação no peito. A dor pode parecer aguda, ardente ou como uma sensação de aperto.

Normalmente, a azia ocorre depois de o indivíduo se alimentar. Se ele se curvar ou deitar, os sintomas e o desconforto podem piorar.

Os quadros leves e de pouca frequência podem ser tratados com medicamentos antiácidos, que, como o nome sugere, irão ajudar a regular a acidez estomacal. Veja alguns exemplos de chá para azia que também podem ajudar nesse sentido.

No entanto, quando a azia é recorrente, é necessário procurar um gastroenterologista pois esse pode ser um indicativo de um quadro mais sério, como o refluxo ácido ou refluxo gastroesofágico, quadros que requerem tratamentos mais específicos.

– Refluxo ácido

O refluxo ácido ocorre quando o conteúdo gástrico sobe para o esôfago, podendo desencadear crises de azia ou até mesmo vômito. Ele se manifesta esporadicamente, normalmente em decorrência de uma outra situação, como alimentação, consumo de certos medicamentos, quando o indivíduo é submetido a situações estressantes, ou até mesmo quando passa por quadros de ansiedade, pânico ou complicações psicossomáticas.

O estômago contém ácido clorídrico, um ácido forte que ajuda a quebrar os alimentos e a proteger contra patógenos como bactérias. O revestimento do estômago é especialmente adaptado para protegê-lo dessa substância, mas o esôfago não.

Há um músculo circular no sistema digestivo chamado esfíncter esofágico inferior, responsável por unir o esôfago ao estômago. Esse músculo contrai o esôfago depois que a comida passa para o estômago, funcionando como uma válvula. Se esse músculo estiver fraco ou não se esticar adequadamente, o ácido do estômago poderá voltar para o esôfago, rompendo a passagem que deveria estar bloqueada pelo esfíncter. Isso é conhecido como refluxo ácido.

– Refluxo gastroesofágico (DRGE)

O refluxo gastroesofágico, também conhecido como DRGE, é a versão crônica do refluxo ácido, manifestando-se de forma recorrente, mas com tratamentos possíveis. O que os difere é, sobretudo, a frequência. Um dos sintomas dessa complicação é a azia e a principal característica é o retorno do conteúdo gástrico ao esôfago.

Quando uma pessoa apresenta sintomas de refluxo ácido duas vezes por semana ou mais, ou por semanas ou meses seguidos, pode ser um indicativo de refluxo gastroesofágico.

Como a mucosa esofágica não é preparada para receber um conteúdo de alta acidez, como o retorno do conteúdo gástrico, isso causa irritação e pode provocar, até mesmo, problemas dentários e, mais raramente, atingir a laringe ou o pulmão.

Sintomas de refluxo

Tanto o refluxo ácido quanto o refluxo gastroesofágico promovem os mesmos sintomas, sendo o principal deles a azia que pode durar várias horas. Normalmente, a azia ocorre ou piora depois de se alimentar. O líquido presente no estômago pode atingir a parte posterior da garganta em alguns casos, produzindo um sabor amargo ou azedo na boca. Nos casos mais raros, pode haver a regurgitação.

Outros sintomas de refluxo gastroesofágico incluem mal hálito, danos ao esmalte dos dentes devido à acidez, regurgitação, dor de garganta, pneumonia, náusea, rouquidão, laringite, tosse seca, dor ou sensação de pressão no peito e dificuldade em engolir.

Refluxo em gestantes

O refluxo é um sintoma muito comum em gestantes, sobretudo no primeiro e no último trimestre de gestação. Na grande maioria dos casos, após a gestação os sintomas desaparecem.

Isso ocorre porque a gestação é um período em que os níveis do hormônio progesterona estão mais altos do que o normal. Em decorrência disso, os músculos do esôfago inferior relaxam, incluindo o esfíncter. Dessa maneira, é mais fácil que o ácido gástrico retorne ao esôfago, causando o refluxo. Além disso, a pressão no estômago devido ao útero em crescimento também pode aumentar a probabilidade de uma mulher ter DRGE.

Os sintomas incluem dor, desconforto, azia ou regurgitação que se manifestam, normalmente, após uma refeição. Como os sintomas tendem a ser temporários, uma mulher geralmente não apresenta complicações a longo prazo associadas à DRGE, como inflamação crônica.

No entanto, quando ela apresenta crises contínuas de vômito, é necessário informar ao obstetra para assegurar que os nutrientes necessários à saúde da mãe a o desenvolvimento do bebê estão sendo supridos.

Os médicos geralmente evitam prescrever muitos medicamentos enquanto a mulher está grávida, pois eles podem ser repassados ao feto. Em vez disso, alterações alimentares e nos hábitos cotidianos podem ser prescritos. No entanto, quando os sintomas são demasiadamente desconfortáveis, o médico responsável pelo pré-natal pode prescrever algum medicamento liberado a gestantes, tais como antiácidos que contenham magnésio, alumínio e cálcio. Já os antiácidos com bicarbonato de sódio devem ser evitados.

Causas

Certamente você já passou ou irá passar por um quadro de refluxo em sua vida. Enquanto alguns passam por isso muito raramente, em outros, os sintomas são mais frequentes.

Algumas das possíveis causas que podem se desencadeantes para refluxo incluem obesidade – pois pressiona demasiadamente o estômago –, gravidez (devido à pressão e ao aumento de progesterona nesse período), além de tabagismo, consumo frequente de bebidas alcoólicas, cafeína, consumo de certos medicamentos como anti-histamínicos, analgésicos, antidepressivos, remédios para hipertensão, relaxantes musculares  e sedativos, que têm como um dos efeitos colaterais o enfraquecimento do esfíncter esofágico.

A alimentação também pode estar relacionada às crises de refluxo. O consumo excessivo de sal, uma dieta pobre em fibras, a ingestão de grandes refeições e até mesmo o hábito de se deitar logo após alimentar-se contribuem à passagem do conteúdo gástrico ao esôfago, promovendo a sensação de queimação ou até mesmo regurgitação.

Além disso, uma outra possível causa de refluxo é uma anormalidade do estômago chamada hérnia hiatal ou hérnia de hiato. Quando isso ocorre, a parte superior do estômago e o esfíncter esofágico inferior se movem acima do diafragma, um músculo que separa o estômago do peito. Normalmente, o diafragma ajuda a manter o ácido no estômago. No entanto, quando um paciente possui a hérnia hiatal, o ácido passa para o esôfago muito mais facilmente, causando o refluxo.

Tratamento

Ao apresentar sintomas de azia e refluxo ácido, os remédios antiácidos costumam desempenhar um papel eficiente combatendo os sintomas. Esse tipo de medicamento pode ser comprado em farmácias sem receita médica, e você poderá optar pelas versões em pastilhas ou em pó, que deverão ser misturados com água, causando efervescência.

Os componentes mais comuns desses medicamentos são hidróxido de alumínio, hidróxido de magnésio, carbonato de cálcio ou bicarbonato de sódio. Esses componentes atuarão no seu organismo restabelecendo a acidez do seu estômago e melhorando o desconforto proveniente do refluxo.

No entanto, quando se trata de refluxo gastroesofágico, o tratamento deve ser prescrito pelo médico, considerando as especificidades do seu caso. Além de medicamentos como bloqueadores do receptor H2, inibidor de bomba de prótons e antiácidos, alterações no seu estilo de vida também poderão ser prescritas.

Mais raramente, quando o organismo não responde adequadamente ao tratamento medicamentoso, a cirurgia pode ser recomendada.

Se você passar por crises de refluxo mais de duas vezes na semana, ou por semanas e meses contínuos, é necessário procurar ajuda médica para averiguar a origem do problema, precisar um diagnóstico e iniciar o melhor tratamento.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já sofreu sintomas do refluxo ou costuma sentir com frequência? Algum dos tipos acima já foi diagnosticado e precisou tomar algum remédio específico? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo Refluxo – O Que é, Causas, Sintomas e Tratamento Aparece primeiro em Mundo Boa Forma