Qual é o Melhor Tratamento para Mau Hálito?

Tratamento para mau hálito

Confira quais são as melhores opções de tratamento para mau hálito, incluindo alguns remédios caseiros, e saiba como cuidar desse problema que incomoda tanto.

O mau hálito – ou halitose – é um problema que acomete, segundo a Associação Brasileira de Odontologia, 30% dos brasileiros. As origens podem ser diversas: problemas bucais, estomacais ou falta de higienização adequada. O que nem todos sabem, no entanto, é que há diversos tipos de tratamento para mau hálito. Abaixo, você poderá conhecer os principais e identificar o melhor.

A halitose, no entanto, não deve ser
confundida com o mau hálito matinal. Esse, por sua vez, se manifesta em todas
as pessoas em decorrência do tempo que a boca passa produzindo menos saliva.
Dessa forma, as bactérias não têm para onde escapar e acabam liberando gases
que provocam a halitose matinal.

Nesses casos, com a escovação dental, o problema é resolvido. Identifica-se como problema, no entanto, quando o mau hálito persiste durante o decorrer do dia.

Entenda como saber se tem mau hálito e aproveite para conhecer também algumas opções de chá para mau hálito. Para saber mais sobre o assunto e conhecer como tirar o mau hálito da boca, leia abaixo:

Origem do mau hálito

De maneira geral, o mau hálito pode ter origem bucal. Isso ocorre porque ao se alimentar, pedaços de comida ficam presos nos dentes e nas cavidades da língua e das bochechas. Quando você não escova os dentes adequadamente, as bactérias crescem em torno desses pedaços de alimento e, em seguida, liberam gases compostos de enxofre.

Essa é a principal causa de mau hálito nas
pessoas e pode ser facilmente resolvido com escovação adequada, uso de fio
dental e antisséptico bucal, que eliminará os germes presos nas cavidades que a
escova não é capaz.

Há certos alimentos, contudo, que provocam uma liberação maior de enxofre ao serem consumidos. Esses alimentos são conhecidos por causarem mais halitose do que outros tipos de comida ou bebida.

Cebola e alho são alguns alimentos que ilustram esse caso. Quando esses tipos de comida são ingeridos, o enxofre é liberado na corrente sanguínea, chegando aos pulmões e ocasionando mau cheiro à respiração.

– Problemas da falta de escovação dental

Quando uma pessoa não escova os dentes
adequadamente, esses resíduos alimentares que ficam presos na boca continuam proporcionando
o crescimento de bactérias, ocasionando a placa bacteriana. Essa placa, quando
não é removida após as refeições, resulta em mau hálito e pode levar a um
problema mais sério: as cáries.

– Outras origens de halitose

Ainda que a grande maioria dos casos de
halitose tenham origem bucal, algumas vezes o problema pode ter como matriz
outras partes do corpo.

Por exemplo, pessoas com refluxo gástrico podem apresentar mau hálito devido à acidez que é provocada ao esôfago e à boca. Além disso, infecções gerais e problemas como diabetes são agravantes para a halitose se manifestar.

Há, ainda, problemas de ordem digestiva, ou seja, pessoas que possuem doenças estomacais ou abdominais podem ter mau hálito, uma vez que os gases produzidos são liberados pelo esôfago em direção à boca.

Tratamento para mau hálito

Hoje em dia existem diversos tratamentos possíveis para tratar a halitose, desde os mais simples e caseiros, aos mais complexos e que podem ser feitos em consultórios odontológicos.

A sua eficácia dependerá, no entanto, da
origem do seu problema. Após identificá-la, você poderá saber qual a melhor
opção para você. Saiba mais:

1. Higienização bucal adequada

Não é à toa que o seu dentista pede que a
escovação seja feita após cada refeição. Quando você se alimenta, partículas de
alimento ficam presas nos espaços que há entre os dentes e nas cavidades
bucais. Como mencionado, esses resíduos atrairão bactérias que liberam gases de
enxofre, ocasionando o mau hálito.

Dessa forma, a escovação pode ser a solução
para o problema. Sendo assim, é imprescindível que a higienização bucal ocorra
sempre após uma refeição.

No entanto, a escovação não é suficiente
para retirar os resíduos de alimento que se acumulam. É nessa hora que entra em
jogo o uso do fio dental – que será responsável por eliminar aqueles pedaços
ainda menores que a escova não alcança – e o antisséptico bucal – que elimina
os germes acumulados nas cavidades, ou seja, nos pequenos buracos que há nas
bochechas e na língua. Além disso, utilizar antisséptico garantirá um hálito
fresco por mais tempo.

2. Limpeza lingual

Saburra lingual é o nome que se dá àquele
muco branco que muitas vezes se instaura na língua. Esse muco é composto por
células descamadas da boca e é um potencial hospedeiro para bactérias que
exalam mau cheiro.

Normalmente a manifestação da saburra é indicativo de outras doenças ou deficiências, como carência de ferro ou biotina. A língua saudável é rosada e lisa.

Como esse muco formado na superfície lingual causa mau cheiro, é necessário haver a limpeza. Para isso existem raspadores que, ao serem utilizados, retiram a saburra. Esses raspadores são facilmente encontrados em farmácias ou até mesmo em supermercados para realizar o tratamento para mau hálito.

De acordo com Pamela Quinones,
ex-presidente da American Dental
Hygienists’ Association,
esse utensílio foi desenvolvido de forma a ser
utilizado com a quantidade recomendada de pressão, que resultará na remoção mais
de saburra, bactérias, restos de comida e células mortas que a escovação por si
só não é capaz.

3. Consumo de água

A saliva é responsável por desempenhar um
papel importante na higiene bucal. Quanto menor a produção salivar, mais fértil
será o ambiente para proliferação de bactérias que geram mau hálito.

Além disso, a saliva ajuda a eliminar partículas de alimento que ficam presas nos dentes e gengivas. Dessa maneira, para regular o fluxo salivar, é importante consumir água frequentemente. Isso faz com que o organismo se mantenha hidratado e a boca não fique seca.

4. Diminuição do hábito de fumar

O tabagismo é um fator de risco para inúmeras doenças, como hipertensão, câncer e enxaquecas, por exemplo. No entanto, não são apenas esses problemas que podem ser desencadeados ou acentuados devido ao fumo. O mau hálito e problemas gengivais são algumas das possíveis consequências.

Isso ocorre porque há na composição do cigarro compostos químicos que propiciam a formação de bactérias bucais. Essas bactérias permanecem na boca até que você consiga se livrar delas – por meio da higienização.

Além disso, está associado à prática de fumar o ressecamento da boca. O tabagismo faz com que haja a diminuição do fluxo salivar, impedindo que o líquido flua livremente e limpe as bactérias presentes.

Cáries e amarelamento dos dentes são outras consequências que podem acometer quem tem o hábito de fumar. Dessa maneira, se você é fumante e não consegue se livrar do mau hálito, um tratamento para mau hálito inicial ideal é diminuir ou, se possível, evitar o cigarro.

5. Consumo de gomas de mascar

Uma das consequências das gomas de mascar, sobretudo as variedades de menta ou hortelã, por exemplo, é proporcionar um hálito fresco.

O efeito pode ser apenas passageiro devido à aromatização desses produtos, mas além disso, quando uma pessoa masca um chiclete, a produção salivar aumenta, evitando que a boca fique seca e as bactérias encontrem um ambiente propício a se proliferarem e exalarem cheiros ruins.

No entanto, é importante recorrer às
versões sem açúcar, para que os dentes não sejam danificados e o açúcar não ocasione
o efeito oposto do esperado.

Remédios caseiros para mau hálito

Há certos alimentos que, ao serem consumidos, auxiliam no tratamento para mau hálito. O uso desses remédios caseiros pode beneficiar inúmeras pessoas por serem acessíveis e não ocasionarem, em sua maioria, efeitos colaterais. Conheça alguns:

1. Erva-doce

Também conhecida como funcho, a erva-doce possui propriedades antimicrobianas que atuam eliminando o mau hálito.

Para se beneficiar de seus benefícios, o consumo
pode ser feito mastigando os grãos ou recorrendo ao chá. Esta última é uma
versão mais palatável para muitas pessoas.

A proporção é de duas colheres de erva-doce para uma xícara de água quente para o preparo do chá.

Além disso, a erva doce pode ser utilizada como tratamento alternativo para problemas estomacais – que também podem causar mau hálito. Nesse sentido, a erva doce atua duplamente sobre o problema, ajudando a regular a halitose e as disfunções digestivas.

2. Leite

Segundo um estudo divulgado por Sheryl Barringer,
professora da Ohio State University, a
ingestão de leite – integral ou desnatado – é capaz de neutralizar o mau hálito
após o consumo de alimentos como alho e cebola, que promovem a halitose de
maneira mais forte.

Segundo a pesquisa, a água presente no leite foi o principal componente que reduziu o teor do mau hálito. No entanto, devido ao seu alto teor de gordura, a versão integral da bebida foi mais eficaz na tratamento para mau hálito em relação à variedade desnatada.

Embora o consumo anterior e posterior à
ingestão de alho e cebola sejam eficazes na neutralização do hálito, tomar a
bebida antes de comer esses tipos de tempero mostrou resultados superiores.

3. Laranja

A laranja é uma fruta fácil de ser
encontrada, com valor acessível e que é produzida durante o ano todo. Sabe-se
que ela é uma rica fonte de vitamina C, que, por sua vez, é eficaz ao agir
contra os radicais livres – que causam envelhecimento celular – e ao melhorar o
funcionamento do sistema imunológico.

No entanto, a vitamina C também auxilia a
regular a produção salivar, tornando a boca um ambiente mais úmido e, portanto,
inóspito à proliferação de bactérias.

Dessa forma, consumir laranjas e demais alimentos ricos em vitamina C – como manga, abacaxi, morango e kiwi, por exemplo – ajuda a evitar o mau hálito.

4. Maçã

Ainda segundo Barringer, a maçã é outro alimento importante e eficaz no combate ao mau hálito causado por alho. Segundo seu estudo, o consumo de maçã crua produz na boca um efeito chamado desodorização enzimática – que também é provocado pelo consumo de hortelã, salsinha e espinafre.

Isso quer dizer que, após a ingestão desses
alimentos, há a desodorização de certos compostos que ocasionam o mau hálito.

5. Vinagre

Utilizar o vinagre como enxaguante bucal caseiro pode ser uma boa ideia para se livrar do mau hálito.

O vinagre contém ácido acético em sua composição, um ácido natural que repele o desenvolvimento bacteriano, já que as bactérias não gostam de se proliferar em ambientes ácidos.

Para se valer dos benefícios que o vinagre
pode oferecer à sua saúde bucal, basta misturar duas colheres de sopa de
vinagre de maçã em uma xícara de água. Gargarejar por 30 segundos é suficiente
para eliminar as bactérias.

6. Consulte seu dentista regularmente

Muitas vezes, pessoas que escovam os dentes adequadamente e adotam hábitos bucais saudáveis são acometidas pela halitose. Dessa forma, a visita ao dentista é fundamental. Além de tratar seus dentes, o profissional será apto a fornecer o diagnóstico correto e identificar problemas gengivais, linguais ou cáries, por exemplo.

Referências
Adicionais:

Você já experimentou algum tratamento para mau hálito? Sofre com essa condição diariamente? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo MundoBoaForma.com.br https://ift.tt/3ccWZ9Y
apareceu primeiro em Mundo boa forma