Pesquisa Apresenta Associação Entre Problemas Gengivais e Pressão Alta

Dentes

Que é essencial cuidar da saúde bucal para não desenvolver mau hálito, cáries, problemas na gengiva e outras doenças bucais, você certamente já sabe. Inclusive, deve escutar desde criança os conselhos para escovar os dentes três vezes por dia, usar fio dental diariamente e manter regulares as consultas com o dentista.

Mas você sabia que a saúde bucal também pode ter a sua relação com pressão alta ou hipertensão? Pois é, uma pesquisa apontou que gengivas vermelhas, sensíveis ou que sangram podem estimular a pressão arterial elevada. O estudo em questão tratou-se de uma revisão de outros 81 estudos, realizado por cientistas do Reino Unido. Os trabalhados revisados foram conduzidos com mais de 250 mil pessoas.

Os pesquisadores responsáveis pela revisão apontaram que as pessoas com nível moderado a severo de doença na gengiva (periodontite) tinham um aumento de 22% no risco de desenvolver pressão alta, ao passo que aqueles com doença severa na gengiva registraram um risco 49% mais elevado.

É importante ressaltar que quando se fala de doença na gengiva, a gengivite é o estágio que precede a periodontite. Na gengivite, as gengivas encontram-se inflamadas e as bactérias das placas formadas nos dentes são acumuladas e fazem com que as gengivas sangrem facilmente.

Porém, nesse estágio, os dentes ainda estão firmemente ancorados nas suas cavidades e não há dano permanente no osso ou em outros tecidos. O problema é que uma gengivite não tratada evolui para a periodontite – é aí que a camada interna da gengiva se distancia dos dentes e são formadas espécies de bolsas, que são pequenos espaços entre os dentes e a gengiva, que podem abrigar resíduos e ficar infectadas.

Na periodontite, bactérias podem se espalhar e crescer abaixo da linha da gengiva. Conforme o quadro se agrava, as tais bolsas se aprofundam e mais tecido gengival e osso são destruídos. Isso amolece os dentes e pode fazer com que eles caiam – tanto que a periodontite é uma das causas da perda de dentes em adultos.

A doença também causa sintomas como inchaço, sangramento e sensibilidade nas gengivas, mau hálito, pus entre os dentes e a gengiva e mastigação dolorosa, por exemplo.

A periodontite já havia sido associada ao desenvolvimento da doença arterial coronariana, que tem justamente a pressão arterial elevada como um dos fatores de risco para o seu surgimento. Além disso, o professor de cardiologia da Universidade da Califórnia nos Estados Unidos, Gregg Fonarow, afirmou que há um corpo crescente de evidências que indicam a existência de uma associação entre a periodontite e hipertensão, juntamente com o endurecimento das artérias.

O professor de cardiologia disse ainda que mais de 50 estudos apontaram que há uma relação entre a periodontite e o aumento do risco de desenvolver doença no coração e que existe uma associação entre a perda de dente e o acidente vascular cerebral (AVC), a morte cardiovascular e a morte por qualquer causa.

Entretanto, Fonarow ponderou que ainda não está claro se a periodontite é um marcador ou um mediador neste sentido.

De volta ao estudo de revisão, os pesquisadores identificaram que entre as pessoas que sofriam com a periodontite, a pressão sistólica (o primeiro número na leitura da pressão arterial) era 4,5 mmHg (milímetros de mercúrio, a medida utilizada na leitura da pressão) maior e a pressão diastólica (o segundo número na leitura da pressão arterial) era 2 mmHg maior, em média, se comparado com as pessoas que não tinham a doença gengival.

A pesquisa foi publicada em setembro do ano de 2019 na revista acadêmica Cardiovascular Research (Pesquisa Cardiovascular).

Como a doença gengival pode afetar outras partes do corpo?

Segundo o chefe da unidade de periodontia do Instituto Dental Eastman da University College London (universidade da Inglaterra), Francesco D’Auito, a má escovação e o acúmulo de bactérias ao redor dos dentes causa sangramento e doença na gengiva, mas também pode aumentar a inflamação no organismo e provocar danos aos vasos sanguíneos.

Os pesquisadores responsáveis pelo estudo de revisão também apontaram que quando as gengivas estão infectadas, a doença pode se espalhar para outras regiões do corpo, causando uma inflamação sistêmica. Eles observaram ainda que podem haver fatores de risco, como obesidade e o hábito de fumar, além de uma suscetibilidade genética presente em algumas pessoas que exercem um papel no processo.

Para o chefe da unidade de periodontia do Instituto Dental Eastman, todo dentista deve informar aos seus pacientes sobre o possível risco de haver uma associação entre o problema na gengiva e a pressão alta.

O tratamento da periodontite pode ajudar a diminuir a pressão?

Os pesquisadores detectaram que entre cinco dos estudos analisados, a pressão arterial diminuiu quando a periodontite foi tratada, inclusive no caso de pessoas que não sofriam com a hipertensão.

Entretanto, de acordo com o chefe da unidade de periodontia do Instituto Dental Eastman, não está certo se o tratamento da periodontite foi a real causa da redução na pressão, pois o estudo não prova uma ligação de efeito e causa entre a doença gengival e o problema de pressão.

Segundo D’Auito, pesquisas futuras devem avaliar quais efeitos o tratamento da periodontite pode ter em relação à pressão arterial. Se a associação se provar verdadeira, então, o controle da doença poderá trazer benefícios que vão além da boca, acrescentou o chefe da unidade de periodontia do Instituto Dental Eastman.

Para o professor de cardiologia da Universidade da Califórnia nos Estados Unidos, Gregg Fonarow, também são necessários mais estudos para avaliar se a melhoria da saúde bucal pode influenciar a saúde cardiovascular.

Se as associações forem causais, elas seriam de grande importância por conta do potencial que a prevenção e o tratamento da periodontite poderia ter na diminuição da pressão arterial e na redução do risco de eventos cardiovasculares.

Mas atenção: o que está sendo dito aqui não é que tratar a periodontite vai resolver um problema de hipertensão e tornar desnecessário o tratamento da pressão alta. Logicamente, tanto quem tem a pressão alta quanto quem não possui hipertensão e sofre com a periodontite deve tratar o problema gengival para não ter mais prejuízos em termos de saúde bucal.

No entanto, o paciente hipertenso precisa continuar a seguir todas as orientações do médico em relação ao tratamento para controlar a pressão – deixar de fazer isso representará sérios riscos para a sua saúde.

O recado que o estudo de revisão deixa é de que uma má higienização bucal pode trazer problemas para a pressão. Outro bom motivo para cuidar bem da saúde bucal é que a má higienização bucal pode ser um dos fatores surpreendentes que podem favorecer o desenvolvimento da demência.

Tudo isso deve servir como um estímulo a mais para escovar muito bem os dentes, passar fio dental e ter consultas regulares com o dentista. Mas não dá para esquecer que independente desses riscos se confirmarem ou não, a excelência na higienização bucal é essencial para a saúde oral.

Fontes e Referências adicionais:

Você já foi diagnosticado com periodontite alguma vez? Como foi o tratamento? E quanto à pressão alta? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo Pesquisa Apresenta Associação Entre Problemas Gengivais e Pressão Alta Aparece primeiro em Mundo Boa Forma