Jejum Intermitente – Resultados, Antes e Depois, Relatos e Depoimentos

Robert

Você vai conhecer a seguir algumas histórias de pessoas que já tiveram bons resultados com o jejum intermitente, ver fotos antes e depois e depoimentos bem interessantes que podem de ajudar e motivar.

Aproveite para conferir quantas vezes por semana fazer o jejum intermitente e o que quebra o jejum intermitente.

Sobre o jejum intermitente

O jejum intermitente é uma espécie de dieta em que a pessoa intercala períodos de horas sem comer absolutamente nada com períodos de alimentação com o objetivo de fazer com que o corpo utilize e queime os seus estoques de gorduras.

Existem vários modelos do jejum intermitente: o método 16/8 (a pessoa jejua por 16 horas por dia e se alimente dentro de uma janela de oito horas); a dieta 5:2 (em que come-se normalmente cinco dias da semana e faz-se uma dieta com restrição calórica por dois dias); fazer jejuns de 24 horas uma a duas vezes por semana e a dieta do guerreiro (comer pequenas porções de frutas e vegetais crus de dia e fazer uma refeição grande na parte da noite), entre outras variações.

Resultados e depoimentos de quem já seguiu o jejum intermitente

Veja a
seguir fotos de antes e depois e como foras os resultados de cada um.

1. Janielle Wright

O antes e depois de Janielle Wright

Antes
de dar à luz a sua filha, Janielle Wright já estava acima do peso. Depois da
gestação, com o acréscimo do peso que veio com a gravidez, ela chegou a pesar
quase 153 kg.

Motivada
a ser melhor por sua filha, a moça tentou diversos métodos para perder peso,
porém, não obteve sucesso. Então, resolveu dar uma chance ao método 16:8 do
jejum intermitente.

Além de seguir a regra de ficar sem comer nada por 16 horas e se alimentar em uma janela de duração de oito horas, Janielle cortou a sua ingestão de carboidratos e adicionou frutas, vegetais, ovos e carnes magras à dieta.

Ela
também passou a tomar oito copos de água diariamente e comprou uma esteira. A
moça também passou a fazer 30 minutos do Treino Intervalado de Alta Intensidade
(HIIT, sigla em inglês) por dia.

Resultado: em 6 meses ela conseguiu eliminar aproximadamente 32 kg.

Você pode conferir toda a história de Janielle com o jejum intermitente em detalhes.

2. Sumaya Kazi

O antes e depois de Sumaya Kazi

Em relato publicado no site Medium, Sumaya Kazi contou que depois da faculdade passou cinco anos na categoria sobrepeso e mais cinco anos na categoria obesa.

Embora tenha tentado diversas estratégias como Vigilantes do Peso e ir à academia de quatro a cinco vezes por semana e tido alguns resultados, ela sofria com o efeito ioiô. Foi depois de aderir ao jejum intermitente que Sumaya conseguiu voltar ao seu peso normal, de acordo com os parâmetros do Índice de Massa Corporal (IMC).

A moça
contou que o método a ajudou a perder aproximadamente 22,5 kg, reduzir 10,5% no
seu teor de gordura corporal e diminuir 100 cm ao redor do corpo. “Esses
resultados são inteiramente do jejum intermitente, já que eu estava
incapacitada de me exercitar nos primeiros meses por conta de um pé fraturado”,
contou Sumaya.

3. Krista Evans

O antes e depois de Krista Evans

“Eu lembro de tirar a foto da esquerda. Eu lembro que eu me sentia desconfortável na minha pele, inchada e simplesmente pesada. Eu lembro o que eu comi aquela noite e que eu senti culpa e vergonha em relação ao que comi. A foto da direita eu tirei ontem à noite e posso dizer que me sinto muito melhor, mais leve, menos inchada, com menos culpa, vergonha e ansiedade acerca do que eu como. Eu me sinto confortável na minha pele e ando com a cabeça um pouco mais erguida na minha autoconfiança. Eu desejo que todos pudessem ter essas coisas para si mesmos”, desabafou Krista Evans sobre a sua trajetória em sua conta no Instagram.

4. Christine

O antes e depois de Christine

Ela começou sua trajetória abandonando o açúcar em uma tentativa de emagrecer e reverter problemas de saúde como síndrome metabólica, fígado gorduroso, resistência à insulina e apneia do sono.

Entretanto, como o seu emagrecimento estava muito devagar, Christine decidiu aderir a uma dieta cetogênica aliada ao jejum intermitente. Resultado: em nove meses, Christine perdeu 36 kg.

5. Courtney Montgomery

O antes e depois de Courtney Montgomery

Courtney chegou aos 25 anos de idade pesando quase 100 kg. Tudo começou a mudar quando ela se olhou no espelho e perguntou a si mesma: “Garota, o que você está fazendo consigo mesma?” e então a moça cortou o fast food, os doces, os refrigerantes e começou a comer alimentos “de verdade” como frango, vegetais e grãos integrais.

Meses mais tarde, Courtney também deixou as bebidas alcoólicas e os produtos laticínios de lado e aderiu ao jejum intermitente. No final de 2018, sua dieta havia passado a ser vegetariana e os exercícios físicos também entraram na rotina da moça.

Em três anos, ela perdeu aproximadamente 41 kg. Porém, Courtney ressaltou que as coisas não foram exatamente fáceis: sua perda de peso foi bastante lenta, o que ela considerou a pior parte do processo. Mas pelo que a imagem acima nos mostra, valeu a pena toda a paciência e persistência, não é mesmo?

6. Mark

O antes e depois de Mark

Mark saiu dos 132 kg e chegou aos 86 kg como o auxílio de uma dieta low carb e do jejum intermitente. Ele contou que iniciou o método low carb em novembro de 2016 e que aderiu ao jejum intermitente em abril de 2017.

Testando diferentes abordagens do jejum intermitente, da dieta low carb com alto teor de gorduras e da dieta cetogênica, aos poucos o homem foi reduzindo o seu peso e ganhando músculo. Além dos regimes, Mark também incluiu um treino físico semanal como parte de sua rotina.

7. Kevin Gendreau

O antes e depois de Kevin Gendreau

Com
uma dieta recheada de pão, macarrão e salgadinhos do tipo chips, ele chegou aos
136 kg. A decisão por mudar as coisas veio por conta de uma tragédia familiar:
sua irmã foi diagnosticada com uma forma agressiva e rara de câncer e Kevin
queria se tornar o melhor que pudesse para ajudar seus sobrinhos, que viriam a
precisar dele.

O moço
começou com uma dieta low carb com alto teor de gorduras e teve bons resultados
ao se livrar dos carboidratos processados e recorrer às frutas, vegetais,
nozes, ovos, frango, peru, peixe, iogurte grego sem gorduras, azeite de oliva,
vinagre balsâmico e temperos e especiarias não calóricos.

Quando a sua evolução estagnou, foi que Kevin aderiu ao jejum intermitente, método que o auxiliou a eliminar os últimos 22,5 kg de todos os 56,5 kg que perdeu no total.

A história inteira de Kevin com o jejum intermitente pode ser conferida em detalhes.

8. Robert

O antes e depois de Robert

Robert apenas se ligou que tinha um problema quando não conseguiu aproveitar uma viagem de família à Universal Studios por conta do seu peso da época, que era de 227 kg.

Demorou
ainda oito meses para que ele finalmente agisse, porém, uma vez que ele tomou
uma atitude, começou uma dieta cetogênica aliada ao jejum intermitente e passou
a monitorar a própria alimentação, os resultados apareceram: o homem eliminou
113 kg.

“Quando eu reflito na minha perda de peso e de onde eu vim, eu lembro de uma fala no filme Apollo 13. É quando Tom Hanks está conversando com Kathleen Quinlan depois que eles olham a lua e o que levou para chegar lá: ‘Não é um milagre, A gente apenas decidiu ir’. Eu apenas decidi ir”, contou Robert.

Não é porque funcionou para eles que será necessariamente bom para você

Os relatos e depoimentos a respeito de resultados obtidos com o jejum intermitente não podem servir de garantia que o método funciona para todo mundo. Isso porque cada pessoa pode reagir de maneira diferente ao precisar ficar muito tempo em jejum.

Além
disso, cada um possui diferentes características e necessidades em seu
organismo, além de diferentes hábitos de estilo de vida – todos fatores que
podem influenciar os resultados de uma dieta.

O médico Vicent Pedre falou a respeito disso em artigo. Ele contou
que já conseguiu ótimos resultados com o jejum intermitente entre os seus
pacientes e que estudos já creditaram ao método (quando feito corretamente)
benefícios como estímulo à imunidade, normalização da pressão arterial,
equilíbrio de hormônios que regulam a gordura e sinalizam a saciedade e a
diminuição da inflamação.

Entretanto, o médico também contou dois casos de pessoas para quem
o jejum intermitente foi prejudicial. A primeira citada foi a paciente com
bulimia Jennifer, de 29 anos, que ouviu de uma amiga a respeito do método e se
animou, já que o regime permitia que ela se empanturrasse durante a janela de
alimentação.

Como descreveu Vicent, o resultado foi desastroso: logo na primeira noite, Jennifer devorou uma pizza, um pote com quase 500 ml de sorvete e uma garrafa de Chardonnay (vinho). Esse exagero já não seria saudável para qualquer pessoa, calcule os estragos que pode fazer para alguém que sofre com um distúrbio alimentar como a bulimia?

O médico falou ainda sobre um de seus pacientes, chamado Jon, um
executivo altamente estressado de 44 anos, que precisava perder cerca de 22,5
kg. Vicent indicou o jejum intermitente ao homem, porém, ao longo do processo,
ele reclamou ao médico que estava engordando.

Ao investigar a questão, Vicent descobriu que apesar de jejuar
durante as horas devidas, o paciente tomava cerca de oito xícaras de café preto
durante o período sem comer, o que reduzia o seu apetite aumentava os níveis do
hormônio do estresse, o cortisol – vale lembrar que o estresse já foi associado
ao aumento de peso.

Além disso, Jon acumulava rosquinhas tipo donuts e outras
guloseimas e besteirinhas durante a sua janela de alimentação.

Ou seja, é preciso conversar bastante com o médico, detalhando a ele suas características, necessidades, vícios e problemas de saúde antes de aderir ao jejum intermitente.

Contraindicações, efeitos colaterais e cuidados com o jejum intermitente

O
jejum intermitente é contraindicado para mulheres que estejam grávidas ou
amamentando, crianças, adolescentes e pessoas diagnosticadas com doenças
crônicas como diabetes e hipertensão.

Para
quem não faz partes desses grupos, é fundamental consultar o médico antes de
aderir ao método para ter certeza que realmente pode seguir o jejum
intermitente, além de ser essencial contar com o acompanhamento do profissional
durante todo o processo.

É importante avaliar o perfil físico e psicológico do paciente e ter critério durante as janelas de alimentação. Do ponto de vista médico, ficar horas a fio sem comer pode ser aceitável dependendo do perfil do paciente, o que deve ser analisado pelo médico.

Por que a consulta ao médico é tão importante? Ora, você ficará um
belo período sem fornecer nutrientes e energia ao organismo, logo é necessário
ouvir do médico, quais precauções precisam ser tomadas para evitar que a sua
saúde seja prejudicada.

Quando o jejum intermitente não é feito com o devido
acompanhamento de um profissional de saúde habilitado e/ou é mal executado pode
provocar efeitos colaterais graves como desnutrição, desidratação,
hipoglicemia, fraqueza muscular e dificuldades de concentração, principalmente
nos casos em que o indivíduo fizer parte do grupo de pessoas para as quais o
método é contraindicado.

Como se não bastasse, de acordo com informações, ao jejuar por
bastante tempo, algumas pessoas podem enfrentar problemas como dor de cabeça,
fadiga, ansiedade e irritação.

O médico Vicent Pedre também afirmou considerar que o jejum
intermitente pode provocar um acúmulo de fatores que causam síndrome do
intestino permeável, resistência à perda de peso e inflamação.

Ele comentou ainda que alguns de seus pacientes que seguem o jejum
intermitente reclamam de estarem acesos antes de ir dormir. De acordo com o
médico, podem existir várias razões para o problema, sendo uma delas o fato de
se comer um jantar rico em carboidratos, o que pode provocar quedas dos níveis
de açúcar no sangue (efeito rebote) e perturbar o sono.

Segundo Vicent, evitar carboidratos refinados e preferir os
complexos como a batata doce (que favorecem a estabilidade das taxas de açúcar
no sangue) na hora do jantar pode ajudar em relação ao problema.

A nutricionista Cynthia Sass contou ter sofrido com a dificuldade
para dormir quando testou o jejum intermitente e que teve pacientes que
passaram pelo mesmo problema.

Segundo ela, esse efeito é prejudicial porque acaba com a energia
para o dia seguinte, além de interferir no controle do peso. Sass contou que o
pouco sono já foi associado com o aumento do apetite, a elevação do desejo por
doces e comidas gordurosas, a diminuição da vontade de comer alimentos
saudáveis e o desencadeamento de comilança em excesso e do ganho de peso.

Por esse motivo, a nutricionista não considera o jejum intermitente apropriado para muitos indivíduos. O médico Vicent e a nutricionista Sass também demonstraram preocupação com a comilança excessiva, a perda muscular e o prejuízo na ingestão de nutrientes que podem acontecer quando uma pessoa segue um jejum intermitente.

Vídeos:

Gostou das dicas?

Você já conhecia o jejum intermitente? Pretende aderir? O que achou dos resultados e relatos acima? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo MundoBoaForma.com.br https://ift.tt/31J0P5I
apareceu primeiro em Mundo boa forma