Hidroquinona – O Que é, Para Que Serve, Antes e Depois e Como Usar

Hidroquinona

Cuidados com a pele nunca são demais, não é mesmo? Aprenda o que é e para que serve a hidroquinona e surpreenda-se ao descobrir o que essa substância pode fazer pela sua pele, especialmente se você tem manchas de hiperpigmentação.

Se você já
tentou vários tipos de pomadas e tratamentos para tirar manchas de acne do rosto, por exemplo, sabe como é frustrante não
obter resultados satisfatórios. Quem sofre com manchas na pele também costuma testar diversos produtos que
prometem suavizar e até remover as manchas por completo. Será a hidroquinona a
solução ideal para esses casos?

Entenda como a hidroquinona funciona e encontre aqui imagens que ilustram o antes e depois de pessoas que realizaram tratamentos estéticos com hidroquinona. Aprenda ainda ainda como usar o produto da forma correta sem agredir a sua pele.

Hidroquinona – O que é?

A
hidroquinona é uma substância de uso tópico utilizada principalmente para
clarear a pele e, por este motivo, ela é utilizada em vários tratamentos para
diferentes formas de hiperpigmentação.

Atualmente, a hidroquinona é considerada segura e pode ser usada sem receita em concentração de até 2%. Existem versões da hidroquinona com concentrações mais altas, mas é necessário ter receita médica para ter acesso a elas.

Para que serve a hidroquinona

A
hidroquinona é utilizada para tratar doenças da pele associadas à
hiperpigmentação, como por exemplo:

  • Melasma;
  • Sardas;
  • Cicatrizes de acne;
  • Manchas associadas ao envelhecimento;
  • Mascas pós-inflamatórias de eczema ou psoríase.

Basicamente,
a hidroquinona reduz o número de melanócitos presentes na pele, que são os
responsáveis pela produção de melanina – substância que determina o tom da
nossa pele.

Na hiperpigmentação, há um aumento na produção de melanócitos em locais específicos da pele, o que gera mais melanina, podendo causar manchas.

Ao aplicar
hidroquinona de forma localizada na pele manchada, a produção de melanócitos
pode ser controlada, deixando o tom da pele mais uniforme.

Antes e depois

Nas
imagens abaixo, você pode observar o resultado obtido por pessoas que usaram hidroquinona
em diferentes concentrações para tratar a hiperpigmentação na pele.

Na dose de
2%, a hidroquinona pode trazer resultados como o abaixo.

Já em doses mais altas que variam de 4 a 5%, os resultados podem ser melhores, como você pode observar a seguir.

Vale ressaltar que concentrações maiores de 2% de hidroquinona só devem ser usadas sob orientação e prescrição médica.

Como usar

A eficácia
de um tratamento com hidroquinona está diretamente relacionada com a sua
consistência e comprometimento com o tratamento. É indispensável usar o produto
diariamente para a obtenção de bons resultados.

Igualmente
importante é seguir as instruções encontradas no rótulo do produto ou seguir as
orientações do seu dermatologista.

– Teste prévio

Antes de
mais nada, é importante fazer um teste em uma pequena área da pele para
verificar como a sua pele reage à hidroquinona, evitando efeitos adversos
desagradáveis por toda a extensão da pele.

O teste
deve ser feito da seguinte maneira:

  1. Esfregue uma pequena quantidade do produto com hidroquinona em uma pequena área interna do antebraço;
  2. Cubra a região com um curativo;
  3. Lave bem as mãos;
  4. Aguarde pelo menos 24 horas e observe qual foi a reação da pele.

Se ao fim
desse teste você sentir coceira ou irritação intensa, é indicado não usar o
produto e conversar com um dermatologista.

Por outro
lado, se nenhum efeito adverso ocorrer, é possível iniciar o tratamento com
tranquilidade e segurança.

– Expectativa

Os resultados
normalmente demoram 4 semanas para começarem a ser notados, mas há casos em que
a melhora só ocorre realmente depois de aplicar a hidroquinona consistentemente
durante vários meses.

Ao notar que o tratamento está surtindo o efeito esperado, você poderá usar o produto por até 4 meses e a partir daí começar a reduzir o uso para interrompê-lo ao fim do quinto mês. Essa é uma recomendação de especialistas para evitar danos na pele.

Se a pele
não apresentar nenhuma melhora em 3 meses de uso, pode ser que seu
dermatologista tenha que aumentar a concentração de hidroquinona ou precise
optar por outro tipo de tratamento para a sua pele.

– Rotina de limpeza e aplicação

A pele
deve estar limpa e tonificada para receber a hidroquinona. Uma limpeza simples
com água e sabão é o suficiente antes de passar a hidroquinona, mas se preferir
fazer uma limpeza mais profunda, veja aqui algumas dicas de tipos de limpeza de pele e seus benefícios.

Depois de
limpar e secar bem a pele, siga o passo a passo:

  1. Aplique uma pequena quantidade de hidroquinona de forma uniforme na área da pele que precisa de tratamento;
  2. Faça uma boa massagem na pele para que o creme seja totalmente absorvido;
  3. Depois disso, lave bem as mãos para evitar que a hidroquinona entre em contato com outras partes da sua pele ou manche roupas e superfícies;
  4. Após o uso, é importante aplicar um hidratante para reduzir o ressecamento da pele e proteger a pele que pode ficar mais sensível durante o tratamento.

Se sua pele é naturalmente seca, é bom caprichar na hidratação e investir também em cremes e produtos para a pele seca.

O uso de
um hidratante com fator de proteção solar – ou de um protetor solar após a
hidratação – é imprescindível, pois a exposição ao sol sem proteção adequada
pode piorar a hiperpigmentação além de reverter os efeitos benéficos do
tratamento com hidroquinona.

– Dosagem

A hidroquinona de uso tópico deve ser usada 2 vezes ao dia de manhã e antes de dormir ou de acordo com a orientação médica.

Na maioria
dos casos, uma dose equivalente ao tamanho de uma ervilha é suficiente para
espalhar por pequenas extensões da pele como o rosto, por exemplo.

Ao se esquecer de tomar uma dose, nunca dobre a quantidade da dose seguinte. Apenas pule a dose perdida e retome o tratamento como de costume.

Produtos combinados de hidroquinona

Nem sempre
a hidroquinona está sozinha nos produtos. Os produtos de venda livre geralmente
combinam baixas concentrações de hidroquinona com outros ingredientes que podem
auxiliar no clareamento da pele.

Algumas
das combinações são:

  • Hidroquinona 2% com ácido salicílico, ácido azeláico, ácido lático e vitamina C: essa combinação clareia manchas escurar e corrige o tom da pele;
  • Hidroquinona 2% com ácido glicólico e hepapeptídeo-2: essa mistura corrige a descoloração indesejada e protege a pele de danos futuros;
  • Hidroquinona 2% com vitamina E e alfa-hidroxiácidos: deixa a pele mais tonificada e uniforme;
  • Hidroquinona 2% e ácido salicílico: essa mistura é bastante comum e enquanto a hidroquinona desbota manchas escuras na pele, o ácido salicílico esfolia e protege a pele com seu efeito antioxidante.

Se você se
interessou por algum dos ingredientes mencionados acima, veja também os benefícios e usos do ácido glicólico (um dos ácidos mais usados para cuidados com a
pele) e conheça também o melhor ácido para cravos e espinhas.

É
importante lembrar que as concentrações mais altas de hidroquinona são
reservadas para casos específicos e só podem ser obtidas mediante a
apresentação de uma prescrição médica.

É seguro usar a hidroquinona?

Estudos toxicológicos – como o publicado em 2007 no periódico Critical Reviews in Toxicology – atestam que a hidroquinona é segura para uso.

– Efeitos colaterais

Geralmente,
a hidroquinona é bem tolerada, mas peses secas e sensíveis podem sofrer
irritações ou ressecamento. Já as peles oleosas ou normais têm um risco mais
baixo de sofrer efeitos colaterais.

Sendo
assim, alguns efeitos adversos leves podem ocorrer, principalmente se a sua
pele for sensível. Exemplos incluem:

  • Vermelhidão temporária;
  • Irritação na pele;
  • Coceira;
  • Sensação de queimação ou de picada;
  • Secura no início do tratamento.

Ainda que
incomodem um pouco, esses efeitos desaparecem conforme a pele se acostuma com a
hidroquinona.

Sintomas
de reações alérgicas podem ser observados em algumas pessoas. Os principais
sinais de alergia à hidroquinona incluem:

  • Urticária;
  • Chiado no peito;
  • Tosse;
  • Dificuldade para respirar;
  • Inchaço no rosto, lábios, língua ou garganta.

É
importante procurar ajuda médica imediata se um ou mais dos sintomas acima
surgirem.

– Reação grave

Uma publicação de 2012 do Indian Journal of Dermatology relatou um caso raro em que a hidroquinona causou uma condição chamada de ocronose. Trata-se de uma condição em que surgem pápulas e uma pigmentação preto-azulado na pele após o uso diário prolongado do produto.

Mesmo que
seja um efeito raro, não é indicado usar produtos que contenham hidroquinona em
sua composição por mais de 5 meses seguidos.

Se for
necessário voltar a usar a hidroquinona, é indicado aguardar de 2 a 3 meses
antes de retomar o uso do produto.

– Contraindicações

Outro
ponto a destacar é que a hidroquinona é mais adequada para tons de pele mais
claros. Quando aplicada em tons de pele mais escuros, a substância pode piorar
a hiperpigmentação.

A
hidroquinona tópica não deve ser usada por grávidas ou lactantes, pois não se
sabe se a hidroquinona representa um risco para a saúde dessas pessoas e de
seus bebês.

O produto
também não deve ser aplicado em crianças menores de 12 anos de idade sem
orientação médica.

Se a sua
pele estiver queimada, muito seca, irritada ou rachada, não é recomendado
aplicar a hidroquinona na região. Também não é indicado aplicar a hidroquinona
em locais como os lábios ou o nariz, pois podem ocorrer irritações ou
dormência.

Alternativas naturais

Há outras opções disponíveis para clarear a pele. Há relatos de que o bicarbonato de sódio pode tirar manchas do rosto, além de ajudar na limpeza e na prevenção e tratamento de infecções na pele.

Se você prefere opções naturais para tratar a hiperpigmentação, vale a pena dar uma chance a ele e conhecer alguns dos seguintes ingredientes:

– Antioxidantes

Os antioxidantes em geral combatem o envelhecimento precoce e ajudam a clarear regiões de hiperpigmentação. Exemplos de antioxidantes facilmente encontrados na composição destes produtos são a vitamina A para pele e a vitamina C para pele.

Além de
deixar a pele mais clara quando usado a longo prazo, os antioxidantes deixam o
tom da pele mais uniforme.

– Vitamina B3

Conhecida
também como niacinamida, a vitamina B3 atua impedindo que áreas mais escuras da
pigmentação apareçam na superfície da pele. Assim, é como se ela preservasse a
hiperpigmentação apenas nas camadas mais profundas da pele e suavizasse as
manchas mais visíveis.

– Ácidos à base de plantas

É possível
aproveitar os benefícios dos ácidos comumente associados à hidroquinona sem
usar produtos sintéticos. Há muitos ácidos naturais derivados de plantas que
podem trazer benefícios para a pele.

No caso da hiperpigmentação, o ácido kójico e o ácido elágico agem reduzindo a produção de melanina na pele e podem atuar de forma semelhante à hidroquinona e outros ácidos.

Considerações

Não é
fácil tratar a hiperpigmentação, mas com a ajuda de bons profissionais e com a
escolha dos produtos certos para a sua pele, é possível ao menos amenizar a
situação.

A
hidroquinona não é para todo tipo de pele. Dessa forma, consultar um
dermatologista para avaliar se a sua pele pode ser exposta à hidroquinona e
fazer um teste prévio no antebraço são duas formas muito eficazes de garantir
que a substância é segura para você.

Se a
hidroquinona não for o produto mais adequado para a sua pele, há diversas
outras alternativas que você pode explorar para tratar a hiperpigmentação.

Fontes
e Referências adicionais:

Você já conhecia a hidroquinona? Conhece alguém que faz uso e pretende experimentar também na sua pele? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo MundoBoaForma.com.br https://ift.tt/2HjVt7B
apareceu primeiro em Mundo boa forma