Grávida Pode Viajar de Avião?

Grávida no avião

Confira se uma mulher grávida pode viajar de avião ou se é necessário que ela evite esse tipo de transporte, mesmo que seja somente durante um período específico.

Não há nada melhor do que tirar uns dias, semanas ou até meses para viajar. Conhecer lugares novos, rever pessoas que não se via há tempos, visitar museus, ir à praia, fazer novas amizades, passar tempo de qualidade com a família e os amigos ou simplesmente descansar da correria do dia a dia – uma viagem pode incluir tudo isso.

Tudo isso realmente soa muito atrativo, entretanto, para algumas pessoas o empecilho pode ser chegar até o destino da viagem, principalmente se a distância for muito longa. Equanto alguns morrem de medo de viajar de avião, outros não podem usar o meio de transporte por questões médicas. Por exemplo, uma grávida pode viajar de avião?

Além disso, vale a pena tirar outras dúvidas acerca da gravidez. Será que grávida pode andar de moto, por exemplo? Grávida pode entrar na piscina ou deve evitar?

Será que a grávida pode viajar de avião?

Geralmente, a grávida pode viajar de avião seguramente em voos comerciais antes da 36ª semana de gestação, quando se trata de uma gravidez saudável.

Já quando estamos falando de um voo internacional, algumas companhias aéreas podem restringir a viagem de mulheres que já estejam com mais de 28 semanas de gestação.

Entretanto, a
gestante deve consultar o médico antes de viajar de avião. O profissional pode
advertir contra a viagem aérea se a grávida sofrer com complicações que podem
ser agravadas por uma viagem de avião ou exijam atendimento de emergência.

Além disso, a
duração da viagem também deve ser considerada na hora de tomar essa decisão e
tanto o médico quanto a companhia aérea podem restringir viagens de avião para
as grávidas com mais de 36 semanas de gestação.

Conforme a
Associação Americana da Gravidez, o Colégio Real de Obstetras e Ginecologistas
da Inglaterra e a Associação Internacional de Viagem Aérea recomendam que as
gestantes que passam por uma gravidez complicada evitem andar de avião da 37ª
semana de gestação até o nascimento do neném.

A organização
também informou que aconselha-se que uma mulher com complicações na gravidez e
fatores de riscos para um parto prematuro, como estar esperando gêmeos, evite
viajar de avião a partir da 32ª semana de gestação até o nascimento do bebê (ou
bebês).

Outros fatores de risco que justificam considerações (e preocupações) relacionadas à viagem de avião ao longo da gravidez incluem: anemia severa, doenças cardiovasculares, hemorragia recente, doença respiratória e fraturas ósseas atuais ou recentes, completou a Associação Americana da Gravidez.

Além disso, uma
viagem de avião pode ser barrada quando a gestante sofrer com complicações como
pré-eclâmpsia ou ruptura prematura de membranas.

Por outro lado, segundo a Associação Americana da Gravidez, existem companhias aéreas que permitem que a mulher viaje de avião durante o oitavo mês, enquanto andar de avião no nono mês de gravidez é permitido quando há a autorização do médico.

Uma vez que tenha
a aprovação do médico e a liberação da companhia aérea, é importante saber que o
melhor período para uma mulher grávida viajar de avião é durante o segundo
semestre, época em que os riscos de emergências comuns de uma gestação são
menores.

A exposição à radiação

Não se acredita que a exposição à radiação associada às viagens aéreas em altitudes elevadas seja um problema para a maior parte das mulheres que viaja de avião durante a gravidez.

No entanto, pilotos, comissárias de bordo e passageiras frequentes podem ser expostas a um nível de radiação cósmica que levanta questionamentos (e preocupações) para uma gestação.

Por isso, a orientação de especialistas para as futuras mamães que precisam viajar de avião regularmente é conversar a respeito disso com o médico. Pode ser que o profissional recomende que a paciente diminua a sua quantidade de viagens aéreas durante a gravidez. 

Cuidados para a gestante ao andar de avião

Se o médico disse
que a grávida pode viajar de avião, isso não significa que é só relaxar e
curtir a paisagem – a futura mamãe precisa tomar alguns cuidados.

Por exemplo, a
Associação Americana da Gravidez aconselha que a gestante viaje em uma das
principais companhias aéreas, que conte com cabines pressurizadas, e evita
andar em aviões privados menores.

Entretanto, se a
grávida tiver que viajar em aviões menores, a orientação da organização é que a
mulher evite altitudes acima dos 7 mil pés.

Segundo o
ginecologista Tatnai Burnett, outro cuidado importante consiste em verificar a
política e as diretrizes da companhia aérea escolhida para as gestantes, que
podem variar de acordo com a empresa e o destino.

Antes de embarcar
no avião, o especialista orienta que a grávida também faça uma espécie de plano
de emergência, que preveja como ela obterá cuidados médicos ao longo da sua
viagem, caso seja necessário.

Assim como acontece com qualquer passageiro, a futura mamãe precisa obedecer a orientação dos comissários de bordo e prender o cinto conforme as instruções assim que sentar no avião, como bem lembrou Burnett.

Se para qualquer pessoa já pode ser perigoso ficar sem o cinto e ser jogado para o outro canto do avião caso ele dê uma chacoalhada ou sofra um momento de turbulência, imagina como isso pode ser grave para uma gestante e seu bebê?

Se for permitido (e quando a segurança da gestante puder ser garantida), a grávida pode dar caminhadas ocasionais no corredor do avião para promover a sua circulação.

Entretanto, ao
fazer isso, a gestante precisa tomar cuidado e segurar nos cantos dos assentos
enquanto anda, devido à turbulência que pode fazer com que o avião balance,
alertou a Associação Americana da Gravidez.

A organização
também orienta que a passageira gestante escolha um assento no corredor, que
permitirá que ela se levante com maior facilidade para ir ao banheiro ou
caminhar no avião para esticar suas costas e pernas.

No entanto, se a
futura mamãe tiver que permanecer sentada, a alternativa se torna flexionar e
estender os tornozelos periodicamente, além de evitar usar roupas apertados,
completou o ginecologista Tatnai Burnett.

Conforme Burnett,
utilizar meias de compressão também pode ajudar a grávida durante a viagem. No
mesmo sentido, a Associação Americana da Gravidez assinalou que o acessório
pode diminuir os riscos de trombose venosa profunda (coágulo sanguíneo que se
desenvolve nas pernas, nas coxas ou na pélvis).

É importante saber que tanto a gestação quanto uma viagem aérea aumentam os riscos de desenvolvimento da trombose venosa profunda, ainda que as meias de compressão também auxiliem a prevenir o inchaço nos pés e nas partes inferiores das pernas.

O ginecologista Tatnai Burnett também recomenda beber bastante água, já que a baixa umidade na cabine do avião pode resultar em uma desidratação, e evitar consumir alimentos que provocam gases, visto que os gases presos se expandem na altitude, o que pode provocar desconforto para a gestante.

Lembramos também que a futura mamãe pode levar lanches saudáveis para viagem de avião quando a fome bater.

Fontes
e Referências Adicionais:

Você já imaginava que grávida pode viajar de avião até um certo período? Já pegou avião durante a gestação? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo MundoBoaForma.com.br https://ift.tt/2uNTZjm
apareceu primeiro em Mundo boa forma