Ginseng é bom para memória mesmo?

Aprimorar a memória, combater a obesidade e a disfunção erétil são apenas alguns benefícios do ginseng, quando o consumimos na quantidade certa. Mas afinal, será que Ginseng é bom para memória, mesmo? Quanto devo consumir?

Ginseng é uma raiz usada há mais de mil anos na medicina chinesa para aprimorar a memória e desenvolver outros benefícios nos âmbitos físico e mental. No entanto, a planta também tem muitos adeptos no ocidente.

Além disso, outros benefícios relacionados ao consumo do Ginseng são a melhora da saúde do coração, pressão, ações anti-inflamatórias, redução da fadiga e até mesmo saúde cerebral.

Tudo isso é possível pois a raiz é rica em vitaminas do complexo B, ferro, cobalto e magnésio, além, é claro, de outras substâncias.

Esses nutrientes são muito importantes para o funcionamento dessas funções.

Ginseng

Veremos abaixo se realmente o Ginseng é bom para memória, outros benefícios para a saúde e bem estar e dicas sobre o consumo.

Afinal, Ginseng é bom para memória?

Não é apenas o senso comum e a tradição popular que afirmam que o ginseng é bom para a memória.

Diversas pesquisas publicadas sustentam os benefícios cognitivos, ou seja, relacionados à memória, concentração e foco, promovidos pelo extrato dessa raiz.

Tudo isso é possível pois a raiz possui uma substância chamada escopolamina. Ela age diminuindo algumas reações químicas que danificam a memória.

No entanto, os melhores resultados foram relacionados a uma espécie específica, que é o ginseng coreano vermelho.

Além disso, o consumo do ginseng ajuda a expandir os vasos sanguíneos. Dessa forma, melhora a circulação sanguínea e a passagem de oxigênio ao cérebro. Consequentemente, melhora concentração e promove a saúde cerebral de modo geral.

Tudo isso ajuda a diminuir as chances de uma pessoa apresentar doenças degenerativas cerebrais, como Alzheimer e Parkinson.

As pessoas que têm problemas de memória e concentração certamente terão benefícios com o consumo do ginseng.

Outros benefícios do Ginseng

Como já falamos, além da memória, a medicina chinesa e a cultura popular utilizam o ginseng para outros benefícios.

A partir das pesquisas sobre a raiz e seus potenciais benefícios à saúde, chegou-se à conclusão de que o ginseng pode ser muito útil em:

1. Diminuir o estresse

O consumo dessa raiz está diretamente relacionado à ação da glândula suprarrenal.

Essa glândula, por sua vez, produz cortisol. O hormônio causa estresse e irritabilidade, além disso, quando a glândula produz cortisol em excesso no organismo, aumenta as chances de diabetes.

O consumo do ginseng, portanto, é capa de reduzir as chances de desenvolvimento dessas complicações.

2. Reduzir a inflamação

Outro benefício comprovado da raiz é e relação à diminuição da inflamação no corpo. Na prática, isso pode ajudar a combater a obesidade, certas doenças crônicas, constipação, dentre outros problemas relacionados à inflamação celular.

Isso é possível pois a raiz tem em sua composição potentes antioxidantes. Esses, por sua vez, são substâncias que combatem os radicais livres, pois bloqueiam os efeitos ruins.

Esse benefício também é capaz de melhorar a saúde da pele, já que a inflamação crônica é responsável, muitas vezes, pela presença de acnes e eczemas.

3. Combater a disfunção erétil

O consumo regular de ginseng também beneficia a performance sexual masculina, combatendo a disfunção erétil.

Esse efeito ocorre pois a raiz protege contra o estresse oxidativo nos vasos sanguíneos e tecidos do pênis, ajudando a restaurar a função normal.

Além disso, estudos mostraram que o ginseng pode aumentar a produção de óxido nítrico. Esta, por sua vez, é uma substância que melhora o relaxamento muscular no pênis.

Além disso, a substância e aumenta a circulação sanguínea, o que ajuda a diminuir a disfunção.

Como consumir Ginseng?

A forma mais comum de encontrar ginseng é em pó. Dessa forma, para que os resultados sejam bons, o ideal é consumir entre cinco e dez gramas.

Por outro lado, quem optar por consumir a raiz in natura, não deve ultrapassar o limite de dois gramas por dia. Vale ressaltar, ainda, que não se recomenda consumir a planta por mais de 7 semanas seguidas.

Você ainda pode aprender como fazer chá de ginseng para tomar no dia a dia.

Efeitos colaterais e precauções

O ginseng pode trazer muitos benefícios para a saúde, mas é preciso ter cuidado com a forma como consumimos. Isso porque a raiz pode ter muitos efeitos colaterais.

O consumo em excesso pode causar efeitos colaterais como nervosismo, problemas de pele e até mesmo prejudicar o sistema imunológico.

Outro problema que as pessoas podem ter depois do consumo, é hipertensão, ou seja, pressão arterial alta. Outras complicações que podem ocorrer são sangramento no nariz, dores de cabeça e até mesmo vômitos.

Em relação às precauções, mulheres grávidas ou em fase de amamentação não devem consumir o ginseng.

Alguns dos perigos que envolvem o consumo da raiz por gestantes são presença de características masculinas em bebês do sexo feminino, e até mesmo relatos de morte neonatal.

Por isso, é importante consultar um médico, farmacêutico ou nutricionista antes de introduzir o ginseng na alimentação.

Fontes e Referências Adicionais

Você já sabia que ginseng é bom para memória? Já tomou esse suplemento? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo Ginseng é bom para memória mesmo? Aparece primeiro em Mundo Boa Forma