Entenda o que causa e como evitar as manchas na pele

Descubra quais são os grandes vilões para o aparecimento das manchas na pele e como evitá-los

Se tem uma coisa que nos deixa com autoestima baixa é quando nossa pele não está uniforme, não é verdade? O aparecimento de qualquer mancha na epiderme pode estar relacionado com a exposição à luz solar, lesão, acnes, queimaduras, problemas sérios de saúde ou até mesmo reação a algum produto. 

Sua pele apresenta algumas manchas? Deseja saber quais tipos de tratamentos para a pele amenizam essas marcas ou quando devemos nos preocupar? Acompanhe a leitura até o final.

Manchas na pele: quais são as causas?

De acordo com o especialista entrevistado pelo portal UOL, dentre as causas mais comuns para o aparecimento das manchas destacam-se a exposição excessiva ao sol, machucados, hematomas e alteração hormonal. Esses fatores são responsáveis por fazer com que a pele produza mais melanina. 

No entanto, a pele também pode variar a coloração quando há redução de melanina em virtude de infecções por fungos ou de doença crônica de hanseníase. Nesses casos, as manchas tendem a ser claras (hipocromia) ou sem nenhuma tonalidade (acrômicas). Ainda existem aquelas avermelhadas provenientes da proliferação vascular — crescimento anormal dos vasos sanguíneos (hemangioma). 

Assim, no verão, é muito comum surgir manchas devido a exposição ao sol, como no caso dos melasmas, como também por outras razões derivadas de uma doença inflamatória crônica, as rosáceas. 

Melasmas

Os melasmas são manchas escuras que geralmente aparecem mais em pacientes do sexo feminino, que apresentam alteração hormonal, gravidez ou que tiveram em exposição ao sol em demasia, além do uso de anticoncepcionais, assim como a predisposição genética. Essas manchas podem aparecer tanto no rosto quanto no pescoço e nos braços.

No caso de gravidez, os melasmas tendem a sumir naturalmente após a gestação. Contudo, se for proveniente do uso de anticoncepcional, eles podem desaparecer quando a paciente interromper o uso.

Para o diagnóstico, o ideal é buscar a avaliação de um dermatologista, que observará de perto o motivo da aparição das manchas. Assim, o médico responsável vai prescrever os cremes específicos, que atuarão como clareadores das manchas.

Dessa forma, é importante ressaltar que pode ocorrer do melasma não desaparecer por completo, ressurgindo quando o uso do protetor solar diário for abandonado. Por isso, nunca se esqueça da importância da utilização do filtro.

Rosáceas

A rosácea, diferentemente do melasma, não é decorrente da exposição aos raios ultravioletas, pois trata-se de uma doença crônica, inflamatória da pele e não contagiosa. Sem cura, provoca vermelhidão no nariz, na testa e nas bochechas. Além disso, elas apresentam períodos de agravamento, em que não há melhora com o passar dos anos, como ocorre com as espinhas. 

Porém, com o tratamento, essa doença tende a ser controlada, aliviando alguns sintomas, como calor, intensa vermelhidão no rosto e sudorese. Lógico que cada paciente vai apresentar prognósticos distintos do outro, que necessitam ser avaliados pelos profissionais da área. 

Uma outra maneira de amenizar possíveis desconfortos causados pelas rosáceas é buscar simples mudanças nos hábitos para controlar a doença, como evitar: 

  • mudanças de temperaturas bruscas;
  • exposição ao sol;
  • bebidas quentes;
  • alimentos bem temperados;
  • bebidas alcoólicas;
  • distúrbios emocionais;
  • irritação com uso de cosméticos.

Os hábitos diários para prevenir as manchas da pele

Para prevenir o aparecimento das manchas na pele, é essencial o uso do filtro solar cotidiano, tendo seu uso recomendado para todos os tipos de pele. Procure utilizar no mínimo 30 FPS. Além disso, pequenas costumes podem ajudar na prevenção, como:

  • o uso de bonés e chapéus para proteção do rosto contra os raios solares;
  • evitar banhos de sol entre os períodos de intensas emissões dos raios UV — entre 10h e 16h;
  • o uso da água termal e bruma hidratante; aplique cosméticos ricos em vitamina C e E na composição. 

Ao tomar banho de mar ou piscina, lembre-se sempre de reaplicar o protetor a cada duas horas.

E por último, mas não menos importante, adote certos comportamentos para que as manchas não aumentem. Fazer, semanalmente, uma esfoliação para remover todas as células mortas do corpo e investir em procedimentos estéticos, como peeling químico clareador e microagulhamento, vai proporcionar o clareamento das manchas escurecidas gradativamente.

Além disso, procure aplicar os cremes adequados com ação clareadora para os períodos de verão. Compre produtos com vitamina C, já que eles servem para clarear e uniformizar a pigmentação escurecida da pele. Por fim, use e abuse dos filtros para impedir que as manchas existentes escureçam mais e surjam novas.

Magazine Notícias

Autor do blog Magazine notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *