Doença Celíaca – O Que é, Sintomas, Diagnóstico, Alimentos Permitidos e Dicas

Os alimentos sem glúten vêm se tornando cada vez mais populares e isso se deve, em partes, à doença celíaca. Saiba o que é essa doença, quais são os seus sintomas, como é feito o diagnóstico e conheça os alimentos permitidos para quem sofre dessa condição.

Dietas sem glúten estão na moda, mas será que quem não tem doença celíaca deve mesmo
evitar essa proteína? Se você não sabe a resposta para essa pergunta, talvez seja
importante saber que a dieta sem glúten pode não ser benéfica para quem não
tem doença celíaca
.

A doença celíaca é uma condição
autoimune em que o sistema imunológico responde ao glúten de forma negativa,
desencadeando vários sintomas digestivos desagradáveis. É diferente da
intolerância ao glúten, que é um quadro mais leve e que não causa reações
graves à proteína. Veja os principais sintomas da intolerância ao glúten para saber se você pode ter essa condição.

Aliás, há muitos tipos de alergias
alimentares que são os grandes responsáveis por desconfortos digestivos
frequentes. É sempre importante observar o que você come diariamente e como
você se sente depois para tentar identificar o alimento que está te fazendo
mal.

Vamos ver então o que é de fato a
doença celíaca e saber qual o tratamento mais adequado para reduzir os sintomas
da doença.

Doença celíaca – o que é?

A doença celíaca é uma doença autoimune em que o sistema imunológico acaba agredindo o revestimento do intestino delgado quando há ingestão de alimentos que contêm glúten. O consumo frequente de glúten pode desgastar o revestimento intestinal, gerando sintomas digestivos desagradáveis e cada vez mais intensos.

Não deixe de conferir o que é glúten afinal para compreender melhor a doença celíaca como um
todo.

Além de danos ao intestino, uma
publicação de 2018 da StatPearls Publishing indica que a doença celíaca – quando
sem tratamento – pode dificultar a absorção de nutrientes dos alimentos,
causando complicações como a desnutrição, a osteoporose, a infertilidade e até
o câncer.

A maioria dos danos intestinais pode ser revertido, uma vez que é feito o diagnóstico da condição autoimune. Veja abaixo quais são os sintomas da doença.

Sintomas da doença celíaca

Não é tão
fácil assim associar os sintomas digestivos com a doença celíaca. De acordo com
um estudo da University of Chicago Medicine, há mais de 200 sintomas da doença
que podem ir além do sistema digestivo e afetar órgãos como o cérebro e a pele.

Dentre os
sintomas mais comuns da doença celíaca, se destacam os seguintes:

  • Diarreia
    ou constipação (que podem se alternar entre si);
  • Dor
    abdominal;
  • Inchaço
    abdominal;
  • Fadiga;
  • Dor
    de cabeça;
  • Problemas
    na pele como a dermatite herpetiforme.

Sintomas
menos comuns incluem:

  • Dor
    nas articulações;
  • Nevoeiro
    cerebral e outros sintomas neurológicos;
  • Sintomas
    depressivos;
  • Ansiedade;
  • Formigamento
    nos braços e nas pernas.

Alguns dos
sintomas também podem variar de acordo com a idade e o sexo do paciente.

  • As
    mulheres: podem ter sintomas adicionais como ciclos irregulares ou períodos
    menstruais dolorosos;
  • Os
    homens: podem apresentar perda de peso e sintomas de refluxo além de erupções
    cutâneas;
  • As
    crianças: podem ter distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade e
    apresentar comportamento alterado na hora de comer – como por exemplo passar a
    selecionar muito os alimentos que não querem comer;
  • Os
    bebês: podem ter inchaço e dor na barriga e baixo peso.

Algumas pessoas podem ter doença celíaca silenciosa.
Nesse caso, os sintomas são quase que imperceptíveis, mas ainda assim os danos
intestinais ocorrem.

Causas da doença

A doença celíaca é caracterizada
pelo ataque do sistema imunológico ao revestimento do intestino delgado. Essa
parte do intestino auxilia na digestão e, dessa forma, quem tem a doença
apresenta dificuldades digestivas e problemas na absorção de nutrientes.

A causa exata dessa doença
autoimune não é conhecida, mas um fator genético pode estar envolvido. Além
disso, é preciso que exista a ingestão de glúten através da dieta para que a
doença seja de fato desenvolvida.

Alguns especialistas acreditam que
existe um gatilho para o início da doença, como o estresse. Mas isso não é
comprovado cientificamente.

Os grupos de risco que engloba as
pessoas com maior probabilidade de ter a doença celíaca são:

  • Pessoas
    que têm um membro na família com a doença;
  • A presença
    de distúrbios genéticos como a síndrome de Down ou a síndrome de Turner;
  • Indivíduos
    com outras doenças autoimunes como a diabetes tipo 1 ou a artrite reumatoide.

Como é o diagnóstico

O diagnóstico pode ser feito com a
análise dos sintomas, com alguns exames de sangue e com uma biópsia do
intestino delgado, quando necessário.

No sangue, são procurados
anticorpos antigliadina, anti-endomísio e anti-transglutaminase tecidual. A
presença deles pode indicar uma reação autoimune causada pela doença celíaca.
Já a biópsia do intestino é feita por meio de uma endoscopia para analisar
amostras do tecido do revestimento intestinal e verificar os danos presentes no
local.

O diagnóstico detalhado é
importante, pois existem outras condições de saúde que podem causar sintomas
semelhantes como:

A detecção da doença pode demorar vários meses porque a identificação dos
anticorpos específicos vai depender também da sua dieta. Se nos dias próximos
ao exame você não ingerir glúten, nenhuma alteração nos anticorpos será
observada mesmo se você tiver doença celíaca.

Tratamento

Ainda não há tratamento para a
doença celíaca, mas a doença pode ser controlada com uma dieta livre de glúten.

Dieta

Segundo uma pesquisa publicada na
revista Gastroenterology em 2015, a dieta sem glúten é a única forma de tratar
a doença celíaca atualmente. Apenas eliminando todo o glúten da dieta, é
possível evitar os sintomas da doença e fazer com que o intestino pare de
sofrer danos.

Uma dieta livre de glúten é
difícil no começo, mas com o tempo você se acostuma. Os ingredientes que devem
ser eliminados da alimentação são:

  • Trigo;
  • Cevada;
  • Farinha;
  • Farelo;
  • Bulgur;
  • Aveia;
  • Semolina;
  • Centeio;
  • Espelta.        

Os ingredientes acima são
geralmente usados no preparo de massas, pães, bolos, bolachas e cervejas. Por
isso é importante sempre checar o rótulo desses alimentos.

Se engana quem pensa que em uma
dieta sem glúten é impossível comer bolos e outros doces gostosos. Aprenda a
fazer 10 receitas de doces sem glúten que também são saudáveis e com poucas calorias.

Também é importante tomar cuidado
quando for comer fora e ter certeza de que o que você está pedindo não contém
glúten. Além disso, o glúten pode estar oculto em alguns alimentos, remédios e
até em outros produtos não alimentícios. Assim, também é bom ficar atento aos
rótulos dos seguintes produtos:

  • Cosméticos
    em geral;
  • Amido
    modificado;
  • Medicamentos;
  • Suplementos
    vitamínicos e minerais;
  • Suplementos
    de ervas;
  • Alimentos
    processados como molhos, sopas enlatadas, chocolate, sorvetes, temperos e
    carnes processadas;
  • Creme
    dental e enxaguante bucal;
  • Biscoitos
    e bolachas.

Quando você conseguir remover o
glúten da dieta, a inflamação no intestino vai reduzir e você vai se sentir
cada vez melhor.

Medicamentos

Em casos de inflamações
intestinais mais severas – como no caso da doença celíaca refratária em que o
intestino delgado não cicatriza – pode ser necessário tomar esteroides para
controlar a inflamação.

Se houver sintomas de dermatite
herpetiforme, pode ser necessário tomar um remédio de uso oral chamado de
dapsona para reduzir os sintomas na pele.

Caso a dieta sem glúten não
resolva o seu problema, pode ser que você apresente doença celíaca não
responsiva em que até níveis muito baixos de glúten podem causar problemas. Em
situações assim, é preciso eliminar qualquer fonte de contaminação de glúten:
separando os alimentos em casa e usando panelas diferentes para cozinhar sem
glúten, por exemplo.

Complicações da doença celíaca

Quando não é
tratada, a doença celíaca pode prejudicar a absorção de nutrientes, causando
problemas como a perda de cabelo, a anemia e a osteoporose. Outros problemas
que podem surgir são:

  • Desnutrição
    geral devido à dificuldade de absorção de nutrientes;
  • Enfraquecimento
    ósseo por causa da absorção insuficiente de vitamina D e cálcio;
  • Aborto
    espontâneo ou infertilidade devido à falta de cálcio e vitamina D;
  • Intolerância
    à lactose devido aos danos intestinais;
  • Risco
    mais alto de desenvolver alguns tipos de câncer como o linfoma intestinal e o
    câncer de intestino delgado;
  • Alterações
    no sistema nervoso como o surgimento de convulsões ou neuropatia periférica.

Se você desenvolver uma
intolerância à lactose junto com a doença celíaca, veja como montar uma dieta sem glúten e sem lactose.

O que comer em uma dieta sem glúten

Quem sofre de doença celíaca tende
a se preocupar muito com a presença de glúten nos alimentos. Mas fique calmo,
pois são muitos os alimentos permitidos em uma dieta sem glúten. Exemplos de
alimentos que podem ser incluídos em uma dieta livre sem glúten são:

  • Carnes,
    aves e frutos do mar;
  • Ovos;
  • Laticínios;
  • Grãos
    livres de glúten como o arroz, a quinoa, o sorgo o milho e o trigo sarraceno;
  • Frutas;
  • Legumes;
  • Leguminosas;
  • Gorduras
    saudáveis;
  • Nozes;
  • Ervas e
    especiarias.

Prognóstico

Uma dieta sem glúten é normalmente
o suficiente para que o intestino se recupere das lesões. Em crianças, esse
processo pode demorar de 3 a 6 meses. Nos adultos, o processo de cura é mais
demorado e pode levar vários anos.

Ainda que demore um pouco para a
cura total, você vai notar o desaparecimento dos sintomas digestivos e o seu
intestino vai se recuperar pouco a pouco.

É importante fazer a dieta sem
glúten com acompanhamento nutricional, pois alguns nutrientes encontrados em
alimentos com glúten podem fazer falta caso você não tenha uma dieta bem
equilibrada.

Se você se identificou com os
sintomas descritos aqui, procure um médico e descubra se você tem a doença
celíaca. O tratamento é simples e sua qualidade de vida e bem estar vai
melhorar muito quando seu sistema digestivo voltar a funcionar normalmente.

Referências
adicionais:

Você já conhecia a doença celíaca? Conhece alguém que passe por isso? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo Doença Celíaca – O Que é, Sintomas, Diagnóstico, Alimentos Permitidos e Dicas Aparece primeiro em Mundo Boa Forma