Diabético Pode Fazer Jejum Intermitente?

É importante descobrir se diabético pode fazer jejum intermitente, pois esta prática vem crescendo em todo o mundo e ajudando milhares de pessoas a perderem peso e melhorarem sua saúde.

O jejum intermitente é um tipo de
dieta na qual as pessoas alternam entre períodos que podem comer e períodos que
jejuam e não especifica os alimentos permitidos durante esta janela de
alimentação.

Existem várias maneiras de praticar o jejum intermitente e dessa forma fica mais facil aproveitar os benefícios do jejum para a saúde e do jejum para a perda de peso.

Como cada vez mais pessoas estão
aderindo ao jejum muitos rumores sobre esta prática para melhorar a saúde estão
surgindo.

Por isso, é comum as pessoas com
diabetes se perguntarem se é seguro, se irá ajudar a perder peso, controlar o
açúcar no sangue e até mesmo precisar tomar menos remédios.

Efeitos do jejum intermitente no diabetes

Alguns estudos sugerem que o diabético
pode fazer jejum intermitente e que ele pode ser útil para as pessoas com essa
condição de saúde, porém ele não é o tratamento principal.

A American Diabetes Association (Associação Americana do Diabetes)
não recomenda o jejum como uma técnica para gerenciar o diabetes, pois a
associação afirma que mudanças no estilo de vida, incluindo terapia nutricional
médica e mais atividade física são os pilares da perda de peso e controle do
diabetes.

Se você tem diabetes e pretende
começar a praticar o jejum, é importante saber quais são os riscos, como
evita-los e por que deve consultar o seu médico primeiro.

Grande parte das pesquisas sobre
esta prática foi realizada em animais de laboratório, e os cientistas estão
estudando os seus efeitos nas pessoas, incluindo aquelas com diabetes.

Embora as descobertas iniciais sejam
promissoras, elas ainda são incertas.

O jejum pode ter alguns benefícios
gerais para a saúde. Por exemplo, poderia reduzir a inflamação, ajudar na perda
de peso e diminuir o colesterol.

Ele também pode melhorar a maneira
como o seu corpo gerencia os níveis de açúcar no sangue (glicose) e reduzir a
resistência à insulina.

Estudos sobre diabetes e jejum intermitente

Um pequeno estudo foi realizado com
três homens que tiveram diabetes tipo 2 por cerca de 10 e 25 anos.

Com supervisão médica, os homens
jejuavam a cada dois ou três dias por semana, e dentro de um mês todos os
homens conseguiram parar de tomar insulina e em menos de um ano foram capazes
de reduzir ou interromper outros medicamentos para diabetes.

Um outro estudo pequeno realizado
com 10 homens obesos com diabetes tipo 2 pediu para que eles seguissem um plano
alimentar com restrição de tempo.

Como resultado, ao longo de 6
semanas eles melhoraram sua glicemia e perderam peso.

Estudos maiores são necessários para
confirmar esses achados e ver quanto tempo os resultados duram. Também não está
claro qual é o melhor plano de jejum ou com que frequência você precisa
fazê-lo.

A Associação Americana do Diabetes
observa que se você estiver obeso ou acima do peso, a perda de peso irá te
ajudar a diminuir o nível de A1c, que é um indicador do controle de açúcar no
sangue nos últimos 2-3 meses e a diminuir o risco de sequelas.

O jejum também pode afetar a
quantidade de insulina necessária. Em um estudo com pessoas com diabetes tipo 1
que mantiveram um plano de jejum, elas conseguiram diminuir a dose de insulina
que tomavam.

Alguns órgãos do corpo que
desempenham um papel na diabetes também podem se beneficiar do jejum.

Seu corpo armazena glicose extra no
fígado em forma de glicogênio, e se você não come, o corpo começa a queimar
gordura em vez de glicogênio para obter energia, o que ajuda na perda de peso.

A prática do jejum também dá uma
pausa no fígado e no pâncreas, que produz a insulina, o hormônio que controla o
açúcar no sangue.

Benefícios do jejum intermitente para diabetes tipo 1 e 2

A resistência à insulina é a
característica mais proeminente do diabetes tipo 2 e sabe-se que ela melhora
com a restrição calórica.

Após um período de jejum, a
sensibilidade à insulina aumenta e os seus níveis no sangue caem, o que resulta
em melhores níveis de glicemia durante o jejum e após uma refeição (insulina pós-prandial).

Além disso, como a insulina induz o
crescimento do tecido adiposo, há menos propensão ao ganho de peso e pode
potencialmente levar à perda de peso.

Já foi demonstrado em vários estudos
de pequeno e curto prazo que o jejum intermitente é eficaz como restrição
calórica diária e quando realizado com frequência pode ser uma opção para perda
de peso saudável, porém evidências indicam que ele não é o melhor método de emagrecimento.

A resistência à insulina está
associada a um estado inflamatório aumentando, incluindo proteína C reativa
elevada, adiponectina reduzida, tamanho de partícula de lipoproteína de baixa
densidade (LDL – colesterol “ruim”) mais baixa e outros fatores metabólicos que
contribuem ou estão associados com a aterosclerose e ao desenvolvimento de
doença arterial coronariana.

Além disso, sabe-se que a insulina é
tanto aterogênica quanto aumenta o risco de retenção de líquidos e insuficiência
cardíaca congestiva, por isso, a redução dos seus níveis através do jejum
intermitente teria o potencial de reduzir os principais problemas
cardiovasculares.

Junto com a restrição calórica, a
prática deste tipo de jejum demonstrou melhorar várias vias metabólicas e
inflamatórias, o que resulta na diminuição da disfunção vascular e por isso
espera-se que melhore o risco cardiovascular e / ou mortalidade, porém mais
pesquisas ainda são necessárias.

No geral, os estudos mostram que
atualmente ainda são necessários mais dados para recomendar a prática do jejum
intermitente ou dietas de baixa caloria para prevenir ou tratar o diabetes, mas
dados sugerem que o diabético pode fazer jejum intermitente.

Riscos do jejum intermitente para diabéticos

Muitas pessoas se perguntam se o jejum intermitente faz mal, e assim como toda dieta, se não feito corretamente, ele
pode causar alguns problemas de saúde, principalmente para pessoas com
diabetes.

Quando você jejuar, pelo menos no
início irá sentir fome, além do que, você também poderá se sentir irritado e
sonolento.

Não se alimentar pode causar dor de
cabeça, e se jejuar por mais de um dia, o seu corpo poderá não receber a quantidade
necessária de nutrientes.

Porém, o grande perigo do jejum para
diabéticos é que os níveis de açúcar no sangue podem ficar perigosamente
baixos, o que é conhecido como hiperglicemia.

Isso é especialmente verdade se você
tomar medicamentos, como por exemplo, insulina, para controlar seu diabetes,
pois se não comer, seus níveis de açúcar no sangue ficarão mais baixos e os
medicamentos podem diminuir ainda mais podendo levar à hipoglicemia.

A hipoglicemia pode fazer com que
você se sinta com tontura, desmaie ou em casos mais graves, até mesmo entre em
coma.

Quando você quebra o jejum comendo
algo, também pode ter mais chances de desenvolver níveis muito altos de açúcar
no sangue, o que os médicos chamam de hiperglicemia.

Isso só acontece se você comer
muitos carboidratos, por isso, se a sua dieta pede que você coma muitos
alimentos ricos em carboidratos, talvez ela não seja a ideal para você.

Conclusão

O jejum intermitente quando
realizado por razões de saúde por pacientes com diabetes tipos 1 e 2 foi
demonstrado em alguns estudos que induz a perda de peso e reduz as necessidades
de insulina.

Embora essas sejam descobertas
empolgantes e tenha chamado a atenção de muitas pessoas, é necessária uma
abordagem sensata para implementar regimes de jejum e segui-los a longo prazo
principalmente entre as pessoas com diabetes.

Os benefícios a longo prazo do
jejum, incluindo a redução do risco cardiovascular, ainda precisam ser
totalmente estudados especialmente em humanos.

Os médicos devem moderar os seus
entusiasmos pelo jejum intermitente pois seus riscos e benefícios ainda
precisam ser mais estudados e explorados em humanos.

Boas evidências de estudos epidemiológicos,
ensaios piloto de intervenção e alguns ensaios randomizados sugerem que os seus
benefícios superam os possíveis danos em um indivíduo comum.

Mas este não é o caso das pessoas
com diabetes já que suas necessidades pessoais exigem uma consideração mais
cuidadosa.

Com o ajuste adequado da medicação e
o auto-monitoramento dos níveis de glicose no sangue, o jejum intermitente pode
ser incentivado e implementado com segurança entre as pessoas com diabetes.

Antes de começar a jejuar

Como você pode ver, embora mais
pesquisas sejam necessárias e alguns cuidados devem ser tomados, diabético pode
fazer jejum intermitente, porém antes de começar essa prática você deve falar
com o seu médico.

Se você tem diabetes tipo 1 ou
outros problemas de saúde devido a diabetes ou teve hipoglicemia, seu médico
pode recomendar que não faça o jejum.

Caso o seu médico diga que está tudo
bem em fazer o jejum intermitente, pergunte se há necessidade de medir o açúcar
no sangue com mais frequência ou ajustar o medicamento para diabetes durante e
após o jejum.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já se perguntou se diabetico pode fazer jejum intermitente? Conhece alguém que possa confirmar? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo Diabético Pode Fazer Jejum Intermitente? Aparece primeiro em Mundo Boa Forma