Deficiências nutricionais mais comuns – Sintomas e tratamento

A falta de nutrientes pode causar muitos problemas. Saiba então quais são as deficiências nutricionais mais comuns, além de seus sintomas e tratamento.

Uma nutrição adequada é garantia de saúde e bem-estar, mas será que você sabe identificar a falta de nutrientes no seu organismo?

Ter uma alimentação equilibrada é o primeiro passo para ter a quantidade certa de vitaminas e minerais. Ainda assim, pode ser que seu corpo dê falta de algum deles. Conheça as deficiências de nutrientes mais comuns e o que fazer para corrigi-las.

Deficiências nutricionais mais comuns

1. Deficiência de ferro

A deficiência em ferro é tão comum que a estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que ela afeta 25% da população mundial.

A falta de nutrientes como o ferro pode causar vários sintomas, como por exemplo:

  • Cansaço;
  • Fraqueza;
  • Sistema imunológico enfraquecido;
  • Função cerebral prejudicada.

Além disso, a deficiência nesse mineral afeta a produção de glóbulos vermelhos do sangue e interfere na circulação sanguínea. As consequências são o transporte inadequado de nutrientes para as células e problemas como a anemia.

2. Deficiência de iodo

De acordo com um estudo de 2013 da revista Thyroid, a falta de iodo afeta até um terço da população mundial. O iodo é essencial para a produção de hormônios da tireoide e para o funcionamento adequado da glândula tireoide.

A saber, alguns sintomas que podem indicar uma deficiência de iodo são:

  • Aumento visível ou sensível ao toque da tireoide;
  • Falta de ar;
  • Ganho de peso;
  • Aumento da frequência cardíaca.

Quando não tratada, essa deficiência nutricional pode causar problemas como a obesidade e a desregulação hormonal, por exemplo.

3. Deficiência de vitamina D

A vitamina D é produzida pelo corpo quando o colesterol presente na pele é exposto à luz do sol. Ela é uma vitamina solúvel em gordura que atua na ativação e desativação de genes.

Ao contrário de outros tipos de deficiências nutricionais, a falta de vitamina D é muito difícil de identificar através dos sintomas.

No entanto, algumas pessoas são capazes de notar sinais como:

  • Fraqueza muscular;
  • Perda óssea;
  • Risco maior de fraturas.

Dessa forma, é necessário fazer exames de sangue periódicos para saber se os seus níveis de vitamina D estão de acordo com o esperado.

4. Deficiência de vitamina A

A vitamina A é outra vitamina solúvel em gordura muito importante para a saúde. Ela é responsável pela saúde da pele, dos dentes, dos ossos, dos olhos e das células em geral.

Apesar de uma pesquisa mostrar que mais de 75% das pessoas que seguem uma dieta ocidental tem vitamina A suficiente, há o outro lado da moeda. Quem vive em países em desenvolvimento corre um risco maior de ter deficiência de vitamina A.

Além de causar danos à visão, a falta de vitamina A pode prejudicar a imunidade.

5. Deficiência de vitamina B12

Essa vitamina do complexo B é certamente indispensável para a formação do sangue e para o funcionamento correto dos nervos e do cérebro.

A deficiência em vitamina B12 é bastante comum porque o corpo não é capaz de produzi-la. Sendo assim, é preciso consumir vitamina B12 por meio da dieta.

Apesar de algumas algas marinhas oferecerem pequenas quantidades, as principais fontes de vitamina B12 na dieta são alimentos de origem animal.

Estudos mostram que até 80% dos vegetarianos e veganos podem ter deficiência de vitamina B12. Mas isso não quer dizer que quem come carne está com os estoques de B12 cheios.

De fato, mesmo quem ingere alimentos ricos em vitamina B12 pode ter deficiência. Isso porque o processo de absorção da vitamina é bem complexo.

Os sintomas mais comuns da falta de vitamina B12 são:

  • Aumento do tamanho dos glóbulos vermelhos (identificado em exame de sangue);
  • Altos níveis de homocisteína;
  • Problemas cognitivos e função cerebral prejudicada.

6. Deficiência de magnésio

O magnésio é um mineral tão essencial para a saúde que um estudo mostra que ele faz parte de mais de 300 reações enzimáticas no nosso corpo.

Ainda assim, muita gente consome menos magnésio do que a quantidade ideal. O resultado da falta desse nutriente são sintomas como:

  • Ritmo cardíaco anormal;
  • Fadiga;
  • Enxaqueca;
  • Síndrome das pernas inquietas;
  • Cãibras musculares.

Além disso, a falta de magnésio está associada ao desenvolvimento de doenças crônicas como a osteoporose, a diabetes tipos 2, a síndrome metabólica e as doenças cardíacas.

7. Deficiência de cálcio

Por fim, a deficiência de cálcio também é uma deficiência nutricional bastante comum. Essencial para a saúde dos dentes e dos ossos, o cálcio também serve para manter a função dos músculos, dos nervos e do coração.

O sintoma mais comum da deficiência de cálcio é a osteoporose – doença caracterizada por ossos frágeis e fáceis de quebrar.

Quando há uma deficiência de cálcio no organismo, o cálcio armazenado nos ossos é liberado na corrente sanguínea. Isso resolve a deficiência nutricional, mas o problema é que isso enfraquece os ossos e deixa a pessoa sujeita a fraturas ósseas.

Tratamento de deficiências nutricionais

suplemento

As deficiências nutricionais são tratadas de acordo com o nutriente que está faltando e com a gravidade do caso.

Seja como for, o tratamento geralmente é feito com uma dieta equilibrada e com suplementação nutricional.

Corrigindo a falta de ferro

Além de ingerir mais alimentos ricos em ferro, o uso de suplementos pode ser necessário a fim de corrigir a falta do nutriente.

Para que você aumente o consumo de ferro, você pode contar com alimentos como:

  • Carne vermelha;
  • Fígado bovino;
  • Mariscos;
  • Sardinhas em conserva;
  • Sementes;
  • Feijões;
  • Folhas verdes escuras.

Além disso, aumentar o consumo de vitamina C também ajuda a elevar a absorção de ferro. Assim sendo, combinações interessantes são comer vegetais como a couve, a brócolis e o pimentão junto com alimentos como feijão e carnes.

Aliás, confira também a diferença entre o ferro heme e o ferro não-heme e entenda qual deles é melhor absorvido pelo organismo.

Corrigindo a falta de iodo

Na dieta, temos algumas boas fontes de iodo, como por exemplo:

  • Algas marinhas;
  • Peixes;
  • Ovos;
  • Laticínios;

Além disso, o sal de cozinha é muitas vezes enriquecido com iodo para prevenir a deficiência de iodo. No entanto, é importante consumir sal com moderação para evitar outros problemas como a hipertensão.

Além de consumir mais alimentos ricos em iodo, a suplementação oral pode ser necessária já que a quantidade de iodo nesses alimentos não é muito alta.

Corrigindo a falta de vitamina D

O tratamento da falta de vitamina D é geralmente feito com o uso de suplementos orais. A dose é prescrita pelo médico e pode ser tomada diariamente ou uma vez na semana.

Os poucos alimentos que contêm boas quantidades de vitamina D são:

  • Óleo de fígado de bacalhau;
  • Gemas de ovos;
  • Peixes gordurosos.

Além disso, é importante aumentar a exposição ao sol para aumentar a produção de vitamina D pelo próprio organismo. Por isso, veja como tomar sol para aumentar a síntese de vitamina D.

Corrigindo a falta de vitamina A

A vitamina A está presente em muitos alimentos em duas formas: a vitamina A pré-formada e a pró-vitamina A.

A vitamina A pré-formada é aquela encontrada em produtos de origem animal, enquanto a pró-vitamina A está presente nos alimentos vegetais. Sua forma mais comum é o betacaroteno, que é transformado pelo nosso corpo em vitamina A.

As principais fontes de vitamina A pré-formada são:

  • Carne de fígado bovino;
  • Óleo de fígado de peixe.

Já as fontes de pró-vitamina A incluem:

  • Batata doce;
  • Cenoura;
  • Vegetais de folhas verdes escuras.

Suplementos de vitamina A quase nunca são necessários, mas se for usar, conte com o apoio de um bom médico já que o excesso dessa vitamina pode ser tóxico.

Corrigindo a falta de vitamina B12

Alimentos ricos em vitamina B12 são, por exemplo:

  • Carnes;
  • Ovos;
  • Leite e derivados;
  • Fígado bovino;
  • Mariscos.

No entanto, como a absorção de vitamina B12 é complexa, pode ser preciso suplementar a vitamina oralmente ou até mesmo por meio de injeções para suprir a falta de nutriente.

Tanto os vegetarianos e veganos quanto os onívoros (que comem carne) devem fazer exames de rotina para checar os níveis de vitamina B12.

Corrigindo a falta de magnésio

Felizmente, há muitos alimentos ricos em magnésio que você pode usar para tratar a deficiência de magnésio. Alguns deles são:

Ainda assim, suplementos de magnésio podem ser usados para ajudar no tratamento.

Corrigindo a falta de cálcio

De acordo com um estudo publicado em 2015 na revista Endocrinology and Metabolism, a melhor forma de corrigir a deficiência de cálcio é por meio da alimentação.

No entanto, um médico pode sugerir o uso de suplementos de cálcio se for necessário. A saber, alimentos ricos em cálcio são:

  • Peixes desossados como a sardinha;
  • Leite e laticínios em geral;
  • Vegetais verde escuros como a couve, a brócolis e o espinafre, por exemplo.

Consequências da má nutrição

Certamente, a má nutrição pode causar muitos outros problemas além das deficiências nutricionais.

A desnutrição pode te deixar com a sensação de estar sempre cansado, com sono excessivo e com dificuldade de pensar. Deficiências nutricionais em geral também podem causar sintomas como queda de cabelo, formigamento nos pés e cicatrização lenta de feridas, por exemplo.

Além disso, a falta de certos nutrientes impacta vários processos do nosso corpo. Isso pode prejudicar o funcionamento de órgãos vitais e contribuir para o desenvolvimento de doenças.

Assim sendo, seguir uma dieta variada e equilibrada reduz o risco de deficiência nutricionais e te garante uma vida muito mais saudável.

Fontes adicionais e referências:

E você, já sofreu com a falta de nutrientes? Identificou algum sintoma como o cansaço constante, por exemplo? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo Deficiências nutricionais mais comuns – Sintomas e tratamento Aparece primeiro em Mundo Boa Forma