Conheça 5 benefícios do Treinamento Funcional para idosos

O Conteúdo

Todos sabemos o quanto é importante que idosos pratiquem exercícios físicos regularmente, não é? Mas será que existem benefícios do Treinamento Funcional para idosos?

Você já deve imaginar a resposta, que é sim! É claro que, independentemente da faixa etária, todos conseguem se beneficiar com a prática do Treinamento Funcional.

Apesar da maioria das pessoas saber que indivíduos da terceira idade devem praticar exercícios, ainda existe certo preconceito quando falamos de atividades consideradas mais “difíceis”, como o Treinamento Funcional.

O importante de pensarmos é que não é nada positivo que idosos fiquem apenas em casa assistindo televisão e jogando conversa fora. Não que isso seja irrelevante, mas também é essencial que eles se movam. Assim, torna-se possível conservar suas capacidades funcionais – e o Treinamento Funcional é uma ótima maneira de colocar isso em prática.

Um idoso que queira manter sua independência e viver bem deve se manter ativo. Ainda, se levarmos em consideração que boa parte dos acidentes relacionados à terceira idade está relacionada à falta de mobilidade física, fica clara a importância da atividade física.

Você já tinha parado para pensar em quais os benefícios que essa modalidade traz para os mais velhos? Confira nesse texto algumas informações sobre a modalidade e quais são os principais benefícios do Treinamento Funcional para idosos – além, é claro, de alguns cuidados que precisamos tomar.

Por que devemos pensar nos benefícios do Treinamento Funcional para idosos?

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) trouxe uma boa notícia para os brasileiros em seu último censo: a expectativa de vida subiu para 76,3 anos. É ótimo saber que a saúde no país está melhorando a ponto de aprimorar também a expectativa de vida, o que significa que em um futuro breve veremos um aumento no número de idosos em nossa sociedade.

Apesar disso, infelizmente nossos hábitos modernos não são ideais para um envelhecimento saudável. Boa parte das pessoas passam o dia inteiro sentados, seja no trabalho ou nas horas de lazer.

O sedentarismo está entre os culpados por patologias que são muito comuns em nossos Studios e consultórios. Além disso, ele também leva à obesidade, que pode ocasionar uma série de problemas de saúde.

O resultado disso é um grupo de pessoas que envelhece sem a saúde necessária para manter sua qualidade de vida. Aí, torna-se comum encontrarmos vários idosos com dores nas articulações, problemas de coluna e falta de mobilidade. 

Por isso, é essencial que busquemos maneiras de ajudar essas pessoas a terem mais saúde e bem-estar. Por consequência, é muito importante pensar nos benefícios do Treinamento Funcional para idosos, já que essa é uma maneira que os profissionais de Educação Física têm de contribuir para isso.

Riscos do dia-a-dia de idosos

Quando alguém envelhece sem manter suas capacidades funcionais, o que infelizmente é o caso da maioria das pessoas, ele fica exposto a uma série de riscos.

Imagine uma senhora de 85 anos, por exemplo, que mora no terceiro andar de seu apartamento e cuida do netinho duas vezes por semana. Se ela apresenta falta de mobilidade articular, dificuldades para sentar e levantar e pouco equilíbrio, logo percebemos que ela está correndo um grande risco.

Isso porque algo simples, como andar da sala até a cozinha, pode fazer com que ela escorregue no tapete e caia. Imagine, então, a probabilidade de ela cair nas escadas do prédio enquanto leva as compras. Um perigo, não é?

Em populações mais idosas, a queda é certamente o maior problema. Mesmo que essa senhora morasse com alguém mais jovem que tomasse conta dela, ela poderia se acidentar em praticamente qualquer situação e acabar com uma lesão.

Mas você sabe o que causa a queda? O principal motivo é a movimentação pouco funcional, que muitos idosos apresentam. Sem conseguir abaixar ou sequer andar corretamente a pessoa estará muito exposta a esse risco.

Por isso, vamos primeiro pensar nos riscos aos quais os idosos estão expostos diariamente.

Risco 1: Diminuição na capacidade cardiovascular

Conforme o corpo envelhece, sua capacidade cardiovascular diminui. Então, adivinhe isso: qual é o grupo com maior risco de sofrer com problemas cardíacos conforme a idade avança?

Você está certo se pensou em pessoas sedentárias e obesas. Isso significa que um idoso que não praticou atividade física enquanto jovem e continua com uma vida sedentária terá mais chances de apresentar tais problemas. Ainda, se ele estiver com sobrepeso estará ainda mais propenso a ter problemas cardiovasculares devido ao acúmulo de gordura.

Alguns idosos sentem-se cansados em excesso e têm dificuldades para realizar alguma tarefa por falta de resistência física. Isso está relacionado aos problemas cardiovasculares que vão surgindo com o tempo. Por isso, se seu paciente quer ser um senhor da terceira idade que consegue andar pela rua sem ficar ofegante e cansado, ele precisa praticar atividades física.

Risco 2: Dependência

Por causa dos riscos constantes que aparecem na vida dos idosos, muitos se mudam para viver com familiares que possam ajudá-los nas tarefas diárias. É normal que um idoso perceba as dificuldades em sua vida diária e tome essa atitude ou até mesmo recorra a casas de repouso.

Esses atos podem ajudar a diminuir os problemas enfrentados com o envelhecimento, mas não são o ideal e não devolvem ao indivíduo suas capacidades funcionais. Algumas vezes, a ajuda de fora até leva a uma diminuição ainda mais de movimentos do idoso. Com alguém para fazer tudo e percebendo suas dificuldades, a pessoa talvez deixe de tentar se mover, criando ainda mais limitações.

A dependência que idosos adquirem de outros também é um fator que piora sua condição psicológica, aumentando os casos de depressão e distúrbios. Deu para entender como é ruim privar alguém da terceira idade de movimento?

Risco 3: Perda de força muscular

A perda de força muscular também contribui para uma dependência maior de terceiros. Conforme o sedentarismo começa a cobrar seu preço o idoso perde massa magra, ficando sem condicionamento físico para realizar as tarefas que precisa.

A idade também traz um processo degenerativo gradual que, aliado a essa falta de condicionamento físico, pode gerar alguma patologia ou dores na hora de se mover. A quantidade de massa magra do indivíduo começa a diminuir ao fim da vida, contribuindo para essa perda de força mencionada.

Como o Treinamento Funcional para idosos pode ajudá-los?

O primeiro dos benefícios do Treinamento Funcional para idosos é óbvio e está ligado aos princípios em que se baseia o Funcional: independentemente da faixa etária, sempre queremos proporcionar um movimento funcional de qualidade em nossos alunos.

E é exatamente essa a principal necessidade dos idosos. Muitos dos problemas que esse público enfrenta estão relacionados às dificuldades de se mover de maneira funcional, então por que a modalidade seria contraindicada? Na verdade, os movimentos funcionais promovidos nas aulas ajudarão seus alunos idosos a melhorarem sua qualidade de vida e a estarem menos expostos a riscos!

Peguemos a queda como exemplo. Caso um idoso fizesse Treinamento Funcional e melhorasse sua habilidade para agachar, bem como sua estabilidade, ele provavelmente conseguiria andar pela casa com maior segurança.

Todos os movimentos básicos do Treinamento Funcional são essenciais para melhorar a vida de qualquer pessoa, especialmente de idosos. Ao reconquistar sua habilidade para agachar, eles podem sentar no sofá para assistir televisão da maneira correta, recolher os brinquedos dos netos sem medo e limpar a casa sem problemas.

Caso o aluno reclame de alguma patologia, como uma hérnia, também é possível unir os benefícios do Treinamento Funcional para idosos com o tratamento para ajudá-lo na recuperação. Os exercícios utilizados durante a aula devem auxiliar a corrigir desequilíbrios e compensações que o idoso adquiriu durante sua vida.

Os principais benefícios do Treinamento Funcional para idosos

Um jovem saudável que opta pelo Treinamento Funcional como atividade física provavelmente tem como principal objetivo manter o corpo em forma, certo? Por outro lado, os idosos são um grupo diferente, já que seus objetivos e corpos possuem características próprias.

Diferente de um jovem, o idoso não está mais em sua melhor forma e talvez esteja com alguns problemas para se movimentar. Além disso, ele tem uma série de limitações e não consegue realizar os movimentos com a mesma facilidade de quando era jovem.

Por isso, a aula também serve para a manutenção da saúde do corpo, mas no caso de um indivíduo da terceira idade isso quer dizer recuperar movimentos funcionais perdidos. Por isso, veja abaixo os 5 principais benefícios do Treinamento Funcional para idosos que podem melhorar muito sua qualidade de vida.

Benefício do Treinamento Funcional 1: Aumenta a flexibilidade

Por que um idoso precisa de flexibilidade?

Pense em uma situação simples: quando alguém precisa pegar um objeto na última prateleira do armário, essa pessoa precisará erguer os braços acima da cabeça e se esticar. Isso exige muito da flexibilidade de seu corpo e isso se repete em diversas tarefas.

Todas as pessoas devem ter certa flexibilidade no corpo para viver confortavelmente, não apenas atletas, por exemplo. Ao envelhecer, muitos perdem sua flexibilidade e desenvolvem problemas articulares, como a artrite.

Nesse sentido, o primeiro dos benefícios do Treinamento Funcional para idosos é o fato de que ele proporciona melhora na flexibilidade, fazendo com que eles recuperem a mobilidade das articulações.

Benefício do Treinamento Funcional 2: Melhora o equilíbrio

O segundo dos benefícios do Treinamento Funcional para idosos é o equilíbrio. Já comentamos aqui sobre como o risco de cair é algo presente no dia-a-dia do idoso. Por isso, ele tem um papel fundamental em garantir que um acidente grave não ocorra.

Exercícios de Treinamento Funcional que levam o indivíduo a desenvolver um melhor equilíbrio serão a chave para uma vida mais segura, mesmo que o idoso more sozinho.

Calma, não é por querermos que nosso aluno mais velho fique mais equilibrado que já no início indicaremos exercícios em superfícies instáveis como o Bosu. Tudo deve ser feito de maneira gradual para que o aluno chegue completamente preparado nos movimentos mais complexos.

Benefício do Treinamento Funcional 3: Cria resistência física

Você percebe, às vezes, que um parente idoso fica muito ofegante só de andar até a padaria? Isso é um sinal de pouca resistência física, que também está na lista de benefícios do Treinamento Funcional para idosos.

É claro que a falta de resistência também afeta os jovens sedentários, mas nos idosos ela possui o agravante da idade e da já diminuída capacidade cardiovascular.

Com isso, percebemos que a prática de uma atividade física que melhore sua resistência física (como o Treinamento Funcional) será ótima para os idosos. Dessa maneira, eles conseguirão fazer suas atividades com mais energia, sem se cansar tão cedo e, ainda, se manterão afastados de problemas cardiovasculares.

Benefício do Treinamento Funcional 4: Aumenta a força muscular

Outro ponto que é um dos benefícios do Treinamento Funcional para idosos é o aumento da força muscular

Quem disse que nossos alunos idosos precisam ficar longe dos pesos? Eles também tem muito a ganhar ao exercitar seus músculos, especialmente para compensar a perda de massa magra que acontece com o envelhecimento.

Esse é outro motivo para incentivar os idosos a praticar o Treinamento Funcional: eles recuperam um pouco da força e são capazes de recuperar, com isso, sua independência.

Idosos que moram sozinhos também conseguirão realizar tarefas como levantar cargas, colocar o lixo para fora e levar as compras sem precisar esperar alguém para ajudar.

Benefício do Treinamento Funcional 5: Melhora da socialização

Por fim, o último dos benefícios do Treinamento Funcional para idosos está relacionado com o convívio social na terceira idade. Isso porque ela chega com diversos desafios para os quais a maior parte da população não está preparada. 

Aliado à perda de mobilidade e dificuldade para realizar suas atividades diárias, os mais velhos também sofrem com uma dificuldade maior de socializar. Diferente dos adultos ativos no mercado de trabalho, o idoso não consegue se manter em contato frequente com a sociedade e muitas vezes fica distante também da família – isso sem contar com os indivíduos institucionalizados em casas de repouso.

Por esses motivos, a incidência de depressão em indivíduos da terceira idade é bastante alta; praticar uma atividade física é uma ótima maneira de evitar que o idoso fique completamente isolado.

Numa aula de Treinamento Funcional em grupo, por exemplo, a pessoa é capaz de interagir com outros e se divertir enquanto se exercita. Um idoso ativo tem uma probabilidade menor de ser afetado por depressão e outros problemas psicológicos.

Além disso, ao melhorar seu condicionamento físico os mais velhos são capazes de realizar um número maior de tarefas. Nisso se inclui a locomoção para visitar amigos, participar de atividades sociais e interagir com a família.

É fácil perceber que existem inúmeros benefícios do Treinamento Funcional para idosos e que ele é ótimo para o corpo e para a mente do idoso, não é? Mas, como em toda atividade física, precisamos tomar alguns cuidados, como os descritos abaixo. 

Cuidados com o idoso no Treinamento Funcional

Sim, os benefícios do Treinamento Funcional para idosos são muitos. Mas isso não quer dizer que eu posso tratar uma senhora de 90 anos da mesma maneira que trato uma mulher de 30.

Sempre falo que precisamos adaptar as aulas para as necessidades individuais de nossos alunos. Lembre-se disso especialmente para grupos especiais como idosos, gestantes ou pacientes com alguma patologia.

O movimento feito da maneira correta é uma maneira de curar e melhorar a qualidade de vida, mas precisamos obedecer alguns limites. Em primeiro lugar, entenda que o idoso possui suas limitações e não consegue se livrar delas de uma hora para a outra.

Seu aluno não consegue agachar? Você não precisa forçá-lo a fazer isso já na primeira tentativa; prepare seu corpo e evolua o exercício conforme ele for recuperando seus movimentos funcionais.

A dor, além de ser um fator limitante para essas pessoas, também é um indicativo de problemas. Respeite-a sempre: quando o aluno começar a sentir dor, é hora de parar o movimento e encontrar algo mais confortável.

Desrespeitar esse limite leva a alguns problemas, como a desmotivação do aluno. Alguém que sente dor em toda a aula está mais propenso a abandonar o Treinamento Funcional por achar que a prática está fazendo mal ao seu corpo (mesmo que seja o contrário).

Por fim, nós precisamos estar sempre atentos às indicações e contraindicações feitas pelo médico que acompanha nosso aluno. É mais comum encontrarmos problemas de saúde na população idosa como diabetes, hipertensão, distúrbios hormonais, osteoporose, entre outros.

O médico responsável pelo aluno deve decidir quais práticas são indicadas ou não para eles, e cabe aos profissionais do movimento fazer tudo em seu poder para ajudar o idoso a se recuperar de sua condição ao mesmo tempo em que respeitamos esses limites.

Conclusão

Já sabemos que exercícios físicos são extremamente positivos independentemente da faixa etária do praticante – o que quer dizer que também é possível tirar proveito dos benefícios do Treinamento Funcional para idosos e melhorar sua qualidade de vida através dele.

Com essa atividade, o indivíduo da terceira idade consegue recuperar suas capacidades funcionais, ficando menos exposto a riscos de lesão e quedas durante seu cotidiano. Nesse sentido, o Treinamento Funcional consegue auxiliar o idoso a recuperar a mobilidade e o equilíbrio, tão essenciais para garantir sua independência.

Naturalmente, tudo deve ser feito com muito cuidado ao lidar com um aluno mais velho. O profissional precisa seguir as recomendações médicas e respeitar os limites que os desequilíbrios, compensações e falta de mobilidade impõem ao seu corpo.

O que podemos garantir é que os benefícios do Treinamento Funcional para idosos são imbatíveis para mantermos a terceira idade ativa e com a melhor saúde possível.

Gostou do artigo e das dicas? Então compartilhe com seus colegas nas redes sociais e deixe aqui seu comentário!

Apareceu primeiro em Blog Educação Física https://ift.tt/2WS9l1r