Como Plantar Erva-Doce em Casa – Passo a Passo e Cuidados

Erva-doce

Aprenda como plantar erva-doce em casa a partir de um passo a passo com dicas de plantio, cultivo e colheita e mais alguns cuidados para melhores resultados.

Entretanto, antes de chegarmos a essas instruções, que tal conhecê-la um pouquinho melhor?

Pois bem, embora seja conhecida há muito tempo em toda a Europa, a erva-doce é originária da Ásia. Versátil e perfumada, ela aparece tanto na culinária em receitas de bolos, broas e pães, quanto na indústria cosmética. Existem inúmeros benefícios da erva-doce que podem ser aproveitados pelo organismo.

Seu nome científico é Pimpinella anisum e ela também pode ser conhecida como anis-verde; anis; aniz e pimpinela-branca. Entretanto, cuidado para não confundi-la com o anis-estrelado, que é outra coisa.

Em termos de saúde, acredita-se que o chá à base de erva-doce seja útil para amenizar a má digestão, os gases e os desconfortos intestinais. Aproveite e aprenda como fazer chá de erva-doce.

Como plantar erva-doce em casa

Aprender como plantar erva-doce em casa não é vantajoso somente
porque permite que se tenha o ingrediente à disposição sempre que necessário,
sem precisar ir até algum lugar para comprar.

Isso também vale a pena porque é uma maneira de assegurar que a sua erva-doce não receba a adição de nenhuma substância química (como agrotóxicos) que possa trazer algum tipo de prejuízo à saúde.

Vale ressaltar aqui que existem muitas doenças causadas por agrotóxicos nos alimentos, e entre elas há a preocupação, inclusive, se o agrotóxico causa câncer.

Por isso, seguem abaixo dois modelos de passo a passo de como
plantar erva-doce em casa. Dá só uma conferida:

1. Como plantar erva-doce em vaso

  1. O vaso utilizado no plantio da erva-doce deve ter mais de 30 cm de profundidade para que haja espaço suficiente para o sistema radicular da erva-doce. Então, quanto maior for esse vaso, melhor. Recomenda-se também o uso de solo leve e de cascalho para a drenagem;
  2. Se o vaso escolhido não tiver furos no fundo, será necessário que você faça esses furos, já que eles são importantes para que não haja o acúmulo de água quando a planta for regada;
  3. Feito isso, colocar pequenas pedrinhas, pedacinhos de madeira ou pedaços de isopor no fundo do vaso. Cobrir com uma manta permeável (bidim) para horta caseira. Este passo é importante para impedir que a terra escape pelos furinhos do vaso;
  4. Então encher o vaso com a terra adubada. Recomenda-se dar preferência aos adubos naturais;
  5. Fazer um pequeno buraco na terra e adicionar algumas sementes de erva-doce. Cobrir com uma porção de terra. Regar, porém, tomar cuidado para que a terra não fique encharcada;
  6. A terra precisará ser regada novamente quando estiver começando a ficar seca. O conselho é que essa irrigação ocorra cedinho de manhã ou no final da tarde. No entanto, você jamais deve regar o seu vaso quando ele estiver exposto ao sol;
  7. A época ideal para a colheita das folhas da erva-doce é quando ela encontra-se bem desenvolvida, o que pode variar conforme as condições de cultivo, o clima e o solo. Já se o objetivo for retirar as sementes, saiba que não é aconselhável que as folhas sejam removidas antes – as folhas devem ser retiradas apenas depois que as sementes forem colhidas. Recomenda-se não cortar a planta rente ao solo, mas deixar um pedaço de cerca de 2,5 cm, já que, deste modo ela poderá rebrotar.

2. Como plantar erva-doce de saquinho (de chá)

  1. Fazer alguns furinhos no fundo de um potinho de plástico mais alto (daqueles de dois andares, em que vem paçoca);
  2. Forrar o fundo do pote com papel-toalha, tampando os cantinhos do recipiente e deixando apenas um pouquinho da borda. Isso é importante para evitar que a terra desça.
  3. Separar três partes iguais de terra vegetal, de substrato de fibra de coco e de húmus de minhoca. Retirar os pedaços maiores para não atrapalhar o plantio, já que as mudas são pequenas. Após, misturar as três partes;
  4. Colocar a mistura no pote de paçoca, como demonstrado no vídeo lá embaixo, porém, sem encher tudo pois ainda é necessário acrescentar as sementes de erva-doce. Tomar cuidado para que a terra não ultrapasse a barreira do papel-toalha;
  5. Cortar a parte de cima de um saquinho de chá de erva-doce e despejar as sementes, espalhando-as pela terra do potinho de paçoca. Dar uma mexidinha e completar com mais um pouquinho de terra para cobrir as sementes. Porém, tomar cuidado para deixar um espaço de aproximadamente um dedo e meio entre a terra e a borda superior do recipiente para que a planta tenha espaço para crescer;
  6. Colocar outro papel-toalha embaixo do potinho e borrifar a terra com água, como demonstrado no vídeo lá embaixo. Continuar a colocar água até o papel-toalha de baixo começar a ficar molhado. Recomenda-se utilizar um borrifador e não um regador porque o último pode tirar as sementes do lugar;
  7. Sem apertar forte, tampar o potinho. Deixá-lo próximo de uma janela para que ele pegue claridade durante o dia. Entretanto, a orientação é que o recipiente não fique no sol e pegue pouca claridade, de no máximo meia hora de sol;
  8. Quando o papel-toalha posicionado embaixo do potinho estiver seco, é sinal de que é preciso molhar mais a planta. Após uma semana, a tampa poderá ser retirada, para que não atrapalhe o crescimento da erva. A indicação é que o recipiente seja destampado depois da germinação, para que nasça mais rápido;
  9. Depois de aproximadamente duas semanas, é esperado que a erva-doce já esteja com folhas fininhas. Como o recipiente começará a ficar pequeno, ela poderá ser transplantada para um vaso maior quando estiver com 8 cm de altura, como demonstrado no vídeo de baixo.

Outras dicas sobre o plantio da erva-doce

  1. Embora resista a geadas leves, o clima ideal para a erva-doce é o ameno ou moderadamente quente;
  2. Já o local ideal para o plantio é aquele que é iluminado e recebe luz direta ao longo de algumas horas por dia, o que auxilia na diminuição da ocorrência de pulgões (insetos);
  3. O cultivo da erva-doce deve acontecer em um espaço exclusivo, ou seja, só dela. Isso porque ela impede o crescimento de outras plantações;
  4. Recomenda-se que a erva-doce seja plantada em local definitivo. Entretanto, se resolver utilizar uma sementeira no cultivo, a orientação é que o transplante seja feito quando a erva ainda estiver jovem, com no máximo quatro folhas;
  5. Ela não se desenvolve bem e solos muito ácidos, portanto, o pH indicado para o solo que receberá o plantio da erva-doce é de 6 e 7. Este solo também deve ser bem drenado, fértil e rico em matéria orgânica;
  6. O cultivo da erva-doce deve respeitar uma distância entre 25 cm a 30 cm entre as plantas, que devem ser cobertas com uma camada fina de solo, de aproximadamente 0,3 cm;
  7. Ainda que o solo não possa ficar encharcado, é importante realizar regas frequentes para manter o solo úmido, principalmente no período de germinação das sementes. A falta de água pode resultar em um florescimento precoce da erva-doce;
  8. Em especial nos primeiros meses de plantio, é necessário tirar do local, onde a erva-doce é cultivada, as plantas invasoras e que disputam nutrientes e recursos do ambiente com a erva-doce.

Cuidados com a erva-doce

De acordo com alguns nutricionistas, a erva-doce é contraindicada para pessoas que sofrem com úlcera duodenal, colite ulcerosa ou diverticulite e por indivíduos que tomam suplementos de ferro.

O consumo excessivo da erva-doce pode provocar efeitos colaterais
como náuseas, vômitos e reações alérgicas.

Antes de usar a erva-doce para qualquer finalidade, consulte o
médico para saber se ela realmente pode ser útil para você, garantir que não
pode fazer mal e checar qual o limite de dosagem e a duração máxima na qual
você pode usá-la.

Isso é importante para todas as pessoas, principalmente para as mulheres grávidas ou que amamentam, as crianças, os adolescentes, os idosos e as pessoas que sofrem com alguma doença ou condição específica de saúde.

Devemos lembrar que mesmo os produtos naturais podem fazer mal para algumas pessoas, principalmente quando ingeridos com exagero.

Nessa conversa com o médico, também é
necessário informar o profissional a respeito de qualquer planta, suplemento ou
medicamento que você esteja utilizando para descobrir se não faz mal usar a
erva-doce ao mesmo tempo em que a substância em questão.

Caso experimente qualquer efeito colateral
em decorrência da utilização da erva-doce, procure rapidamente o auxílio
médico, mesmo que o sintoma em questão não aparente ser grave.

Isso é importante para checar a gravidade da reação, receber o tratamento apropriado e saber se pode continuar ou não a fazer uso da erva-doce.

Fontes
e Referências Adicionais:

O que você achou dessas dicas como plantar erva-doce em casa? Pretende começar agora? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo MundoBoaForma.com.br https://ift.tt/3aa4Lj5
apareceu primeiro em Mundo boa forma