7 Remédios para Alergia na Pele Mais Usados

Alergia na pele

Veja quais são os principais remédios para alergia na pele, as versões caseiras que podem ser utilizadas, além de conhecer os tipos de alergias cutâneas, como prevenir e o que fazer quando tiver uma crise.

De maneira geral, as alergias na pele se manifestam quando o sistema imunológico reage a uma ameaça percebida que normalmente seria inofensiva ao seu corpo. Os sintomas podem variar de acordo com a forma que cada organismo reage e com o tipo de alergia, afinal, existem diversas variedades.

No entanto, os principais sintomas que se manifestam quando uma pessoa é acometida por alergia na pele são:

  • Vermelhidão em certas regiões da pele;
  • Inchaço;
  • Coceira;
  • Descamação da pele;
  • Manifestação de ínguas;
  • Erupções cutâneas;
  • Alteração na textura superficial na pele, tornando-se mais áspera;
  • Eczemas.

Os sintomas passam a se manifestar quando um indivíduo é exposto a uma substância alérgena, como certos alimentos, pólen de flores, frutos do mar, soja, dentre outros possíveis elementos que podem causar hipersensibilidade nas pessoas.

Principais remédios para alergia na pele

Quando sua pele começa a manifestar sintomas de alergia, é necessário conter os danos para evitar que ela evolua. Para isso, existem medicamentos de uso tópico, ou seja, que devem ser administrados diretamente na pele, e as versões orais, que devem ser ingeridas para surtir os efeitos esperados.

Dentre os principais tipos de remédio para
alergia na pele prescritos para eliminar os sintomas, estão inclusos:

1. Anti-histamínicos

Os anti-histamínicos são os remédios para alergia na pele mais conhecidos e amplamente adotados para tratar os sintomas. Esse tipo de medicamento também pode ser prescrito quando outros tipos de crises alérgicas se instauram.

Também conhecido como antagonista de
histamina, o fármaco atua no organismo bloqueando a ação da histamina, o que
faz com que as ligações com seus receptores sejam inibidas, atenuando os
sintomas alérgicos.

É possível encontrar esse tipo de medicamento em forma de comprimidos, xaropes, pomadas, além de colírios e gotas nasais. No entanto, as versões em creme ou pomada são as mais adotadas para tratar os efeitos de alergias cutâneas, que normalmente contêm dimetindeno ou prometazina em sua composição, e que também podem ser associados à versão oral.

2. Corticoides

Corticoides
ou corticosteroides são medicamentos que atuam no organismo reduzindo as
inflamações que podem se manifestar em decorrência de uma alergia.

Assim
como os anti-histamínicos, os corticoides podem ser encontrados em forma de
pomadas, cremes, xaropes e comprimidos.

No entanto, esse tipo de remédio é prescrito somente em casos mais severos, como quando há Angioedema ou inchaços em alguma parte do corpo que prejudiquem a mobilidade ou nas vias aéreas, o que dificulta ou impede a respiração.

Além disso, o uso de corticoides deve ser feito com cautela, uma vez que eles podem apresentar diversos efeitos colaterais, principalmente quando seu uso é frequente, como aumento de peso, hipertensão, formação de estrias na pele, alterações no trato gastrointestinal, insônia e fragilidade óssea.

Betametasona e prednisolona são os principais corticoides utilizados em remédios orais, enquanto nas versões tópicas é mais comum encontrar hidrocortisona ou betametasona.

Remédios Caseiros

Além desses fármacos, há, ainda, opções de tratamentos caseiros que podem ajudar no tratamento e que podem ser administrados em conjunto com os remédios para alergia na pele citados acima, como:

3. Banho de aveia

Mergulhar a pele em água morna com aveia é uma das opções de tratamentos alternativos para combater os sintomas de alergia dermatológica.

Esse procedimento mostra resultados satisfatórios para tratar erupções cutâneas, além de ajudar a atenuar coceiras e acalmar pele inflamada. A aveia é um umectante natural, portanto, atrai a umidade da pele, selando-a e atenuando os sintomas.

Em um banho de banheira, você pode adicionar
um ou dois copos de aveia, mas sempre com a água morna, pois a água muito
quente pode piorar o quadro e desencadear sintomas subjacentes.

Esse procedimento também é recomendado para
quem possui psoríase, uma doença em que há o acúmulo de células da pele,
formando escamas e manchas secas.

4. Bicarbonato de sódio

Bicarbonato de sódio é uma substância utilizada para diversas finalidades, desde limpezas domésticas até mesmo na culinária. Esse elemento também é capaz de acalmar erupções cutâneas.

É possível adicionar 1/4 de xícara a um banho morno. Você também poderá optar por diluir uma colher de sopa em um pouco de água até que forme uma pasta e aplicar no local.

O bicarbonato de sódio é considerado um
antifúngico e pode ajudar a acalmar a coceira e ardência da pele.

5. Pasta de linhaça

Linhaça é um alimento nutritivo e benéfico para integrar qualquer dieta. No entanto, os benefícios da linhaça se estendem ao uso tópico devido às propriedades anti-inflamatórias que ela possui.

Dessa maneira, eczemas, coceiras e erupções cutâneas podem ser tratadas utilizando a pasta de linhaça, aplicando-a diretamente na área afetada.

Para prepará-la, é necessário misturar 5
colheres de sopa de farinha de linhaça com um fio de água, de modo a formar uma
pasta consistente que possa ser aplicada na região com o auxílio de um algodão
ou gaze.

Essa mistura deve ser aquecida em fogo
baixo, e quando ainda estiver morna, deve ser aplicada diretamente na região
que você deseja tratar. É necessário que a camada aplicada tenha, em média, 1
centímetro de espessura. Esse procedimento poderá ser repetido por até 3 vezes
ao dia, conforme a necessidade apresentada.

6. Compressa de camomila

A camomila é uma planta medicinal cujo chá é conhecido por amenizar os sintomas gastrointestinais. As compressas dessa planta também pode ser um dos remédios para alergia na pele melhorando sintomas como vermelhidão, inchaço e comichões, já que ela possui propriedades calmantes e anti-inflamatórias.

O preparo da compressa de camomila requer 30 gramas de
flor de camomila – fresca ou desidratada – em 500ml de água. É necessário
aguardar que infusão levante fervura e, em seguida, esperar por 15 minutos após
tirar do fogo. Quando a mistura estiver morna, embeba um pano no líquido e
aplique sobre a área afetada, duas vezes ao dia, em horários espaçados.

7. Aloe Vera

Também conhecida como babosa, não é raro encontrar pés de Aloe Vera nos quintais e jardins. Tamanha sua eficácia, que inúmeros cosméticos e dermocosméticos feitos à base dessa planta.

O princípio ativo se encontra no interior
da babosa, na baba que ela libera ao ser cortada. Esse gel deve ser aplicado
diretamente na região onde os eczemas, vermelhidões, erupções ou outros
sintomas da alergia se manifestaram.

Além disso, essa substância pode ser
utilizada para tratar queimaduras e para melhorar a hidratação capilar.

Tipos de alergia de pele

Alergia é um termo cuja definição indica
uma super-reação do sistema imunológico quando uma pessoa tem contato com uma
substância a qual ela possui hipersensibilidade. Os tipos mais comuns de
alergia na pele são:

– Dermatite de contato

Os principais sintomas da dermatite de
contato incluem pele seca, descamação, vermelhidão, formação de bolhas, coceira
e inchaço, principalmente na região dos olhos, face e virilha.

A dermatite alérgica de contato ocorre
quando a pele apresenta uma reação após ser exposta a determinadas substâncias.
Nesses casos, os sintomas não acontecem em decorrência de um elemento
consumido, mas sim pelo contato físico. Isso faz com que o corpo libere
substâncias químicas inflamatórias, desencadeando coceira e irritação.

Dentre os elementos desencadeantes de
dermatite de contato estão os acessórios feitos de níquel, perfumes,
cosméticos, luvas de látex e a planta hera venenosa.

– Urticária

As urticárias ocorrem quando há o
aparecimento de lesões avermelhadas com relevo sobre a superfície da pele. O
principal sintoma sensorial das urticárias é a coceira que elas provocam. Elas
são provocadas por reações alérgicas a algo consumido, como medicamentos,
alimentos, ou pelo contato com substâncias alérgenas, como tintas, látex, pelos
de animais, ou até mesmo picadas de insetos.

Além disso, a urticária também pode ser
causada por circunstâncias além de alergias, como estresse, roupas apertadas,
infecções e prática de exercícios físicos. Também é possível desenvolver
urticária quando há exposição excessiva a temperaturas quentes ou frias. Como
existem vários gatilhos em potencial, muitas vezes a causa real das urticárias
não pode ser identificada.

– Angioedema

O Angioedema se manifesta de maneira
similar à urticária. Nesse caso, no entanto, os sintomas são mais severos, pois
atinge as camadas mais profundas da pele e mucosas. Em decorrência desse quadro
pode haver o inchaço dos lábios, da língua, dos olhos e das vias respiratórias.

Esse é um quadro que deve ser tratado com o
uso de anti-histamínicos de venda livre e, nos casos mais severos, o paciente
deve ser encaminhado ao pronto-socorro em caráter de urgência para evitar que a
respiração seja prejudicada.

Causas de alergia na pele

Uma pessoa leva, em média, 10 dias para se
tornar sensível a algo após o seu primeiro contato com a substância. Mas, uma
vez que você desenvolva uma alergia, poderá ter uma reação alérgica em alguns
minutos após entrar em contato com o elemento alérgeno.

Tecidos de roupas, metais de joias,
fragrâncias, pólen de flor, frutos do mar, oleaginosas, produtos de limpeza,
certas plantas e látex estão entre as principais substâncias que desencadeiam
alergia.

Acredita-se que um paciente seja
predisposto geneticamente a desenvolver alergia. Dessa maneira, aqueles que
possuem histórico familiar com hipersensibilidade são os que estão dentro do
grupo de risco.

Fontes e Referências
adicionais:

Você já conhecia os remédios para alergia na pele mais usados? Já precisou de algum deles? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.

O conteúdo 7 Remédios para Alergia na Pele Mais Usados Aparece primeiro em Mundo Boa Forma